Novas metas para a mobilidade em São Paulo

Lei de Diretrizes Orçamentárias 2014: iniciativas para melhorar a mobilidade na capital paulista (Foto: Luís Henrique Boucault)

Na última quarta-feira, dia 17, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, sancionou a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) 2014. A lei é composta por 100 iniciativas consideradas prioritárias para a cidade e tem receita prevista de R$ 44,8 bilhões.

Cinco das metas previstas pela lei são relacionadas à mobilidade urbana e ao transporte coletivo. Uma delas é um projeto piloto para que os ônibus operem 24h na cidade em 2014, incluindo uma linha que substitua o percurso do metrô.

As outras diretrizes para o setor pretendem ainda implantar 150 km de faixas exclusivas para ônibus até 2016; 150 km de corredores de ônibus de alto padrão em 2014, com áreas de ultrapassagem e catracas externas; implantação do bilhete único diário, semanal e mensal; e a troca de 2.500 coletivos, também em 2014, para que 80% da frota seja acessível a pessoas com mobilidade reduzida.

Outro plano do prefeito para melhorar a mobilidade urbana na capital paulista é a criação de faixas exclusivas para as bicicletas no entorno dos corredores de ônibus. O aumento da rede cicloviária faz parte do Plano de Metas da atual gestão da Prefeitura, que também pretende realizar melhorias nas calçadas.

O objetivo das medidas é melhorar a mobilidade de São Paulo por meio de iniciativas que favoreçam o transporte coletivo e  a bicicleta. Mais ciclovias e corredores e faixas de ônibus facilitam o deslocamento de quem utiliza esses modais, o que contribui para a diminuição dos congestionamentos, na medida em que, com formas de transporte mais econômicas e eficientes à disposição, mais pessoas tendem a fazer uma escolha diferente.

Aumento da rede cicloviária faz parte do plano de metas da Prefeitura de São Paulo (Foto: Fernanda Ligabue)

Fontes: Catraca Livre, SMT-SP, CicloVivo