Pirataria cívica e espaço para criar

Projeto une “pirataria cívica” e integração de pessoas em intervenções urbanas (Foto: Artspace)

Em uma área de 14 mil metros quadrados no distrito de Central Market, em São Francisco, EUA, funciona o Freespace, um experimento em que cidadãos ocupam determinado espaço por um mês e realizam uma intervenção para criar todo tipo de projetos que possam levar algum benefício à população. É aplicação da ideia de “civic hiking”, ou “pirataria cívica” em tradução livre.

O objetivo é usar tecnologia e integração coletiva para inovar espaços e pensar em soluções criativas ara a comunidade. No Freespace, tudo é doado ou colhido: os sofás, as mesas, a geladeira, as obras artísticas, os materiais de jardinagem. Para os criadores, é uma forma de levar o espírito de inovação e coletividade a pessoas que nunca vivenciaram uma experiência de criação conjunta.

Nos murais, por exemplo, está o Artspace, iniciativa que pretende conectar grafiteiros e pintores a espaços vazios, e no jardim funciona um projeto que utiliza peças de bicicletas antigas na construção de novas bikes. Há ainda maratonas de diversas atividades tecnológicas, aulas de yoga, clubes de livros, concertos e um cultivo de flores que são distribuídas para a população do entorno. Todas as atividades são temporárias, mas a ideia é que elas continuem por iniciativa dos moradores.

A ideia do projeto surgiu no Dia Nacional de Civic Hacking, que acontece no começo de junho. O espaço, porém, que funciona por meio de financiamento coletivo, não tem uma agenda específica nem é divulgado na mídia. Em junho, os convits foram feitos de boca a boca, e a maioria das pessoas chegou ao primeiro encontro sem certeza do que iria encontrar. O resultado foi uma área de criação coletiva e criatividade em intervenções urbanas pensadas para melhorar a vida das pessoas.

Fonte: Catraca Livre