Onda de manifestações gera redução massiva das tarifas de ônibus no Brasil

O aumento generalizado das tarifas de ônibus nos últimos meses, adiado pelo Governo para reter o aumento da inflação no início do ano, causou o estopim de manifestações populares que atingiram todo o Brasil. Em virtude disso e aliado à desoneração do PIS/Cofins sobre o diesel e a energia elétrica utilizada no transporte público, diversas cidades barraram o reajuste previsto ou, inclusive, baixaram o valor das passagens.

Das 31 cidades brasileiras catalogadas no BRTdata.org que possuem prioridade ao ônibus, 19 já estarão com tarifas reduzidas vigentes a partir de 1º de julho. Além disso, cidades de grande porte como Porto Alegre e Belo Horizonte estão com propostas pendentes a serem aprovadas no Legislativo.

As manifestações realizadas nos últimos meses provaram-se essenciais nas reivindicações por um transporte coletivo de maior qualidade e mostraram a força da população. Ações como a redução da tarifa e a destinação de mais 50 bilhões de reais para a mobilidade urbana, aliada aos 60 bilhões destinados para Copa, Olimpíadas e o PAC Mobilidade Grandes e Médias Cidades, comprovam isso e mostram um cenário animador para os próximos anos.

Protestos em São Paulo garantiram que tarifa não sofresse aumento. (Foto: Fabio Braga/Folhapress)

Sobre o BRTdata.org

Saiba mais informações sobre sistemas Bus Rapid Transit e corredores de ônibus do mundo todo no site BRTdata.org.

Lançado há um ano, o site foi desenvolvido a partir de uma parceria entre quatro organizações globais: o Centro de Excelência BRT – Across Latitudes and Cultures (ALC-BRT CoE); a EMBARQ, o centro de transporte sustentável do WRI; a Associação Latino-Americana de Sistemas Integrados e BRT (SIBRT) e a Agência Internacional de Energia (IEA).

Confira aqui o panorama atual dos sistemas BRT e corredores de ônibus no mundo.