Belo Horizonte dá início à campanha de respeito ao pedestre

Divulgação

Belo Horizonte dá um importante passo em busca de um cenário de respeito ao pedestre. Desde ontem (21), a campanha “Pedestre. Eu Respeito” está nas ruas da capital mineira. O programa é resultado de vários meses de planejamento, com o cruzamento de dados que apontaram 12 áreas na região Centro-Sul da cidade como prioritárias para receber as ações educativas. A campanha integra o projeto Vida no Trânsito, do Ministério da Saúde, e está prevista para durar pelo menos um ano. O objetivo é uma mudança completa de comportamento. Respeito é a palavra-chave da campanha.

Ao lançar a campanha,  a Prefeitura de Belo Horizonte, através da BHTRANS, quer que a cidade abrace essa causa. A mobilização e a conscientização são fundamentais para que haja a mudança definitiva de comportamento. A experiência em outros países e também em cidades brasileiras mostra que uma mudança simples de atitude por parte de todos no trânsito é o suficiente para reverter as estatísticas de violência no trânsito. O sucesso da campanha depende de uma atitude pessoal e intransferível.

Os números confirmam a importância da campanha. Todos os dias, oito pessoas são atropeladas em Belo Horizonte. Só em 2011, foram 76 mortes na capital registradas no local do acidente. Nesse cenário, os idosos aparecem em situação de maior vulnerabilidade. Dos 76 óbitos, 25 foram de pessoas com mais de 60 anos. Em 2010, foram 31 mortes de idosos num universo de 105 óbitos. Com apoio de entidades de classe, de empresas, de educadores, da imprensa e de setores organizados da sociedade civil, Belo Horizonte irá mudar essa realidade.

Divulgação

É importante saber que atropelamento não é fatalidade. É resultado de um comportamento de risco, seja do motorista, do motociclista, do ciclista ou do próprio pedestre. Acabar com os atropelamentos depende de todos. No trânsito, o pedestre é a parte mais frágil e, por isso, tem a preferência.  Respeitá-lo é mais que uma gentileza: é um dever.

O principal da campanha é o respeito à preferência do pedestre nas travessias não semaforizadas. O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) assim estabelece e esse comportamento deve ser adotado pelos motoristas . Está na hora de pararmos de simplesmente admirar as cidades em que os carros param para o pedestre. Vamos todos adotar esse comportamento e nos orgulhar de Belo Horizonte”, comentou a diretora de Atendimento e Informação da BHTRANS, Jussara Bellavinha.

Região hospitalar

A Região Hospitalar da capital, por onde circulam, em média, 99 mil veículos diariamente e onde há uma grande concentração de pessoas vindas de outras cidades, foi escolhida para lançamento da campanha. A ideia é que cada uma das 12 áreas mapeadas na cidade como prioritárias recebam a ação educativa por quatro semanas seguidas. Com isso, a programação deverá completar um ano de atividades ininterruptas. Além disso, haverá intervenções educativas da BHTRANS em eventos esporádicos e em locais fora da Área Central, onde há grande concentração de público.

Equipes formadas por universitários do curso de Pedagogia, estagiários do Ensino Médio e a equipe da Gerência de  Educação no Trânsito da BHTRANS se revezarão, de segunda a sexta-feira, nos turnos da manhã e da tarde, na abordagem a motoristas, motociclistas e pedestres. Eles ficarão em cruzamentos e travessias de maior movimento.

Divulgação

Além dos estagiários, as ações nas ruas contarão com a participação do “Mão” – mascote e símbolo da campanha – , de mímicos e agentes da BHTrans. As intervenções terão apoio da Polícia Militar e da Guarda Municipal. Num primeiro momento, a abordagem será educativa e, no decorrer da campanha, haverá fiscalização específica em cada área.

Na Região Hospitalar, os principais cruzamentos e travessias de pedestres com semáforos estão nas avenidas Alfredo Balena, Francisco Sales e Brasil. Por lá circulam todos os dias 5.030 ônibus, sendo 521 no horário de pico. Dos 99 mil veículos que passam pela região, entre 6h e 21h, 10.800 se concentram no horário de pico.

Engenharia

A campanha “Pedestre. Eu Respeito” não se resume às ações educativas. Segundo a diretora de Atendimento e Informação da BHTRANS, Jussara Bellavinha, as melhorias nas condições de travessia do pedestre integram, junto com a campanha, as ações do projeto Vida no Trânsito. “Estamos fazendo um grande trabalho de melhoria nos corredores verificando o tempo de travessia e se há necessidade de implantação de faixas adicionais para travessia. O nosso plano, ao longo desse ano, é aumentar o número de semáforos para os pedestres. Vamos trabalhar a parte educacional, mas, paralelamente, estamos cuidando da engenharia para termos uma melhoria significativa com foco no pedestre”.

 Fonte: BHTrans