Transporte urbano: peça-chave para combater mudanças climáticas

Poluição de São Paulo é visível. (Foto: Thomas Hobbs)

Artigo publicado originalmente em inglês no site da EMBARQ em 19/03/2013.

Mesmo ocupando apenas 2% da área terrestre, as cidades são o lócus de 70% das emissões mundiais de gases de efeito estufa, número em ascensão. “As áreas urbanas têm uma oportunidade enorme de contribuir para as soluções, e uma capacidade única para implementar a mudança que afetaria a grande maioria da população mundial”, observa Benoit Lefevre, associado sênior de Transportes e Climáticas da EMBARQ, e lidera iniciativas de transporte e clima no Instituto de Recursos Mundiais (WRI). Como a população das cidades continua aumentando, o setor de transportes está contribuindo com uma parcela cada vez maior de emissões de carbono em áreas urbanas, e agora é a fonte de emissões de gases de efeito estufa que mais cresce. No entanto, o transporte nem sempre faz parte da discussão sobre mudanças climáticas.

A EMBARQ reconhece que o transporte urbano de baixo carbono é a chave para resolver o desafio das mudanças climáticas, e está conduzindo algumas iniciativas de colaboração mútua para ajudar a resolver a crise climática.

Desenvolver uma abordagem em três frentes para ajudar a resolver a crise climática com o transporte urbano

Ciente do impacto dos transportes sobre as mudanças climáticas, e do alto potencial que o transporte urbano sustentável tem para resolver a crise do clima, a EMBARQ está trabalhando no cruzamento da mudança climática e a inovação de transporte para realizar um impacto positivo sobre a redução de gases de efeito estufa. A EMBARQ está liderando o grupo internacional de transporte LowEmissions Development Global Partnership (LEDS-GP), um esforço de colaboração de mais de uma centena de prestigiosos parceiros internacionais.

Na conferência anual da Parceria Global do LEDS, na Tailândia, em fevereiro deste ano, Benoit Lefevre ressaltou um processo chamado Evitar-Mudar-Melhorar (Avoid-Shift-Improve), no qual cidades e planejadores urbanos se concentram em uma abordagem em três frentes. A estratégia envolve evitar ou reduzir a necessidade de viagens; mudar para meios de transporte mais eficientes e melhorar tecnologias de combustíveis e veículos.

Promover a colaboração internacional em torno de fluxos de trabalho regionais

Fundado no início de 2011, o LEDS-GP reúne mais de cem institucionais governamentais e internacionais para avançar o desenvolvimento de baixa emissão através da coordenação, troca de informações e cooperação em todo o mundo. O LEDS-GP estabeleceu plataformas regionais com países e instituições na África, Ásia e América Latina, bem como fluxos de trabalho focados para apoiar as atividades e as prioridades definidas. A EMBARQ está liderando o fluxo de trabalho de transporte, em colaboração com o National Renewable Energy Laboratory (NREL) e o Programa de Meio Ambiente das Nações Unidas (UNEP).

Para apoiar a abordagem em três frentes (Evitar-Mudar-Melhorar), o fluxo de trabalho de transporte do LEDS está desenvolvendo ferramentas inovadoras para oferecer capacitação em todo o mundo. O fluxo de trabalho também oferece assistência técnica e de formação sobre estratégias de transporte que apoiam o desenvolvimento de baixas emissões, concentrando seus esforços em áreas específicas – planejamento, análise e ferramentas, e finanças. Através do LEDS-GP, a EMBARQ enxerga uma mudança significativa nos níveis local, nacional e regional como um produto de aprendizagem peer-to-peer (ponto-a-ponto), treinamento e troca de informações.