Mais tempo e mobilidade para os cariocas com o BRT Transoeste

Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil

Em operação desde junho de 2012, o primeiro corredor BRT do Rio de Janeiro já carrega 100 mil passageiros por dia, no trajeto que liga a Barra da Tijuca a Santa Cruz e Campo Grande. Para saber mais sobre o que os cariocas estão achando do novo sistema, que já tem 45 km em operação, o TheCityFix Brasil visitou o BRT Transoeste na tarde desta quarta-feira (06). Confira a opinião de alguns usuários entrevistados que estão ganhando mais tempo em seus deslocamentos diários:

Maria Angela de Melo Silva, 66 anos, costureira

A costureira diz adorar o sistema. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

Para Maria Angela, a maior vantagem foi ficar mais perto de suas filhas com a rapidez do BRT Transoeste. Ela garante que a família inteira utiliza o BRT, desde o neto que vai para a escola até o genro e o marido. “Uso o BRT para ir na casa das minhas filhas. Eu adoro, ele é rápido, fresquinho, uma condução boa.”

A costureira, que gosta de passear pelos shoppings da Barra no tempo livre, deu nota 10 ao sistema.

Igor dos Santos, 16 anos, estudante

Depois do BRT, sobrou tempo para o curso de informática. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

Igor desce no Pontal e pega o ônibus alimentador até Vargem Grande todos os dias. Hoje, garante que demora 30 minutos com o deslocamento, mas nem sempre foi assim. “Antes do BRT tinha que esperar um ônibus que demorava até uma hora para chegar na minha casa, em Vargem Grande. Com o tempo que ganho com o BRT dá para fazer o meu curso de informática.”

Deise Moreira Matsuguma, gerente

Deise tem mais tempo para se organizar. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

Deise também aponta o ganho de tempo como maior diferencial para sua vida. Antes percorria o mesmo trajeto em 45 minutos, atualmente leva 20. “Você toma um café da manhã melhor, chega mais cedo ou acorda mais tarde e se organiza melhor no trabalho. Melhorou bastante”, afirma ela, com um satisfeito sorriso no rosto.

Cristiane Glória da Silva, 39 anos, do lar

Matheus descansa tranquilo no colo da mãe Cristiane. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

Em um clima de total tranquilidade, encontramos Cristiane com o pequeno Matheus, de dois meses, no colo na estação Nova Barra. A mãe levava o filho ao pediatra, há poucas quadras dali. “Gosto e confio muito no sistema, não tenho do que reclamar. Antes do BRT levava quase duas hora para chegar na Barra, agora é rapidinho, 40 minutos. Pode ver, estou aqui tranquila, aguardando o pai dele chegar, com toda a segurança. Dou nota 10 para o Transoeste. Foi uma das melhores escolhas que a Prefeitura já fez. Muito bom”, comemora.

Na estação Nova Barra também flagramos Rafael dando seus primeiros passos. Muita mobilidade! (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

Paula Vernilo, 14 anos, estudante

O final da tarde se aproximou e logo muitos estudantes invadiram as estações do BRT. Paula é uma das que abandonou a condução escolar depois que descobriu as vantagens do Transoeste. Desde o início do ano, a jovem só vai para a escola de BRT. “O Transoeste é bem mais rápido, mais barato e há a vantagem das estações, que não precisa ficar na rua esperando. Uso o BRT de segunda a sexta para ir a escola e nos finais de semana também, para ir e voltar da casa da minha mãe”, declara Paula satisfeita.

Economia e rapidez para a Paula. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)