Híbridos e elétricos: será 2013 um bom ano para a mobilidade ‘verde’?

Lançado em 2010, Nissan Leaf é o primeiro veículo 100% elétrico produzido em grande escala. (Foto: Divulgação)

Por Evaldo Costa. Publicado na Revista Torque, em 15/01/2013.

Podemos dizer que o ano de 2012 foi um bom ano para a mobilidade sustentável. Afinal de contas, mais fabricantes anunciaram investimentos em carros híbridos e elétricos, alguns países (especialmente na Europa) anunciaram ou ampliaram benefícios aos compradores de VEs, aumentaram os investimentos em pesquisas e infraestrutura.

Além do mais, os consumidores tornaram-se mais atentos aos produtos que preservam o meio ambiente. Infelizmente, os preços dos veículos elétricos e híbridos ainda estão elevados, daí uma das razões para que eles não tenham penetração significativa.

Tivemos outros resultados favoráveis a mobilidade sustentável. Por exemplo, as vendas do Chevrolet Volt, triplicaram nos Estados Unidos. Híbridos e elétricos cresceram em quase todas as partes onde são comercializados, especialmente no Japão. Ainda assim, há quem diga que as vendas de veículos elétricos são insignificantes, pois, nos Estados Unidos, os 23.461 Volts vendidos no ano passado, representaram apenas 0,3% e os híbridos plug-in ou híbridos 3 por cento em relação as vendas totais de automóveis no mercado norte- americano.

Porém, é bom lembrar que os computadores, aparelhos de celulares, TV de plasma bem com a maioria das novas tecnologias, tiveram comportamento análogo, durante o período de lançamento.

Um aspecto interessante é o fato de nos Estados Unidos, a maior parte das vendas ocorreram para pessoas físicas, enquanto na Europa, os carros elétricos são vendidos, em sua maioria, para frotas de empresas ou programas de compartilhamento de carros das cidades, a exemplo do parisiense “Autolib”.

Autolib circula pela capital francesa. (Foto: Divulgação)

Apesar da Europa estar ficando para trás dos Estados Unidos em vendas de carros elétricos e híbridos plug-in no varejo, as previsões dão conta de que em 2018 a Alemanha ocupará a terceira posição entre os países com maior frota deste tipo de veículo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos e da China.

Porém, o líder em participação de mercado, será o Japão, cuja penetração de caros elétricos e híbridos plug-in, será de quase 50% das vendas totais. A mesma fonte prevê que no Reino Unido, o número de carros elétricos nas ruas deverá dobrar em 2014.

Um recente estudo de mercado estima que as vendas globais anuais de veículos elétrico ou híbridos plug-in até 2020, será de 3,8 milhões. O relatório, divulgado pela Research Pike, na primeira semana de Janeiro de 2013, estima também que as vendas de veículos plug-in vão crescer em 40%, enquanto as vendas de veículos em geral crescerá apenas 2%.

Em 2013, teremos muitos mais modelos híbridos plug-in e elétricos sendo oferecidos a diversos mercados. Mesmo no Brasil, onde o interesse por esse tipo de tecnologia é quase nulo, alguns governantes estaduais e municipais estão investindo no transporte público sustentável, a exemplo do que vem ocorrendo em São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Brasília entre outros.

Pense nisso e ótima semana,

Fonte: Relatório da Pike Research