MobIT no Recife: seminário para discutir a mobilidade

Aconteceu no Recife, nos dias 31 de janeiro e 1º de fevereiro, o MobIT – Seminário Internacional de Mobilidade, realizado pelo Porto Digital, que abordou a mobilidade urbana com foco nas soluções e inovações tecnológicas e seus impactos em cidades de médio e grande porte. O evento foi marcado pela diversidade nos currículos dos palestrantes, bem como por uma plateia ávida por reflexões mais profundas e propositivas.

Alguns nomes internacionais, somente para citar alguns, vieram à Veneza brasileira como John Jung (Canadá),  Jordi Pardo (Espanha) e Uli Seher (França). Marcaram presença dentre os brasileiros: Maurício Broinizi (Programa Cidades Sustentáveis), Natália Garcia (Cidade para Pessoas) e Ângelo Leite (Serttel).  Daniel Valença (Observatório do Recife) como representante local e cicloativista também marcou presença no evento.

Para mediar as mesas redondas e conduzir as discussões, inclusive com doses bem aplicadas de provocações, o evento contou com a participação de Cláudio Marinho (Porto Marinho / Softex-PE), Zeca Brandão (UFPE), Milton Botler (Urbanista) e Maria Leonor Maia (UFPE).

(Foto: Mauro Silva)

O Evento

Como já antecipado em sua proposta inicial, o evento não definiu uma receita de soluções “enlatadas” e prontas para resolver o problema da mobilidade urbana nas grandes cidades. A experiência de cidades como Barcelona através do 22@, da França com projetos onde os espaços urbanos tornam-se mais atrativos e do Rio de Janeiro com o sucesso da intermodalidade através do bilhete único, foram alguns dos cases que iniciaram reflexões e provocações.

A tônica das discussões giraram em torno de um planejamento urbano mais propositivo do que normativo, na (re)conquista do espaço urbano público pelas pessoas que gostam da cidade, no uso misto das edificações e na criação de cenários urbanos socialmente ativos. Foram dois dias de pura imersão nos problemas (diretos e indiretos) que cercam a mobilidade urbana. Uma oportunidade única para fomentar discussões amplas para a mobilidade nas cidades.

O evento chegou ao fim com muitas perguntas e algumas certezas. Uma delas, não muito difícil de observar, é que a mobilidade não se resume a seus indicadores observados isoladamente.  Eles devem ser analisados de forma relacional para que não sejam tratados, tão somente, sob o aspecto dos transportes.

Como todo bom evento, o MobIT foi encerrado com aquele sentimento de quero mais. Vamos torcer para que outras iniciativas como esta sejam mais frequentes.

 

* Mauro Silva – Pai, Triatleta, Mestre em Engenharia da Computação, Professor, Empreendedor e Engenheiro de Sistemas. Genuinamente preocupado e engajado com a Mobilidade Urbana nas grandes cidades, em especial no Recife. Desenvolve projetos, participa de ações, contribui em discussões e tenta promover a mudança em seu entorno.  Acredita que a (re)construção das cidades deve iniciar ‘pelos’ cidadãos, ‘nos’ cidadãos e ‘para’ os cidadãos.