Com irreverência artista mineira provoca reflexões sobre a relação pedestre-carro

Confronto (2005), vídeo-performace da artista mineira Cinthia Marcelle exibe a tênue disputa por espaço nas ruas. (Foto: Reprodução)

Por Kaiodê Biague*

Definitivamente a rua não é um espaço exclusivo dos automóveis, ela é palco da vida, das contradições e dos conflitos cotidianos. Quem vive nos grandes centros urbanos, certamente, já presenciou, em algum cruzamento, artistas de rua e vendedores ambulantes exibindo suas destrezas circenses nas mais variadas modalidades. A perspectiva de apropriação da cidade como palco, além de ser uma realidade econômica para muitos/as, estimula também reflexões e inflexões sobre esses espaços.

Cinthia Marcelle, artista visual mineira que transita com muita facilidade por diversas linguagens, como a fotografia, o vídeo e a performance, exibe em seu vídeo-performance “Confronto” (2005) a relação quase sempre de disputa entre pedestres e carros, além de lidar com questões de tempo-espaço, fluxos, ordem e controle.

“O ciclo de pausa e movimento ao longo do vídeo se converte, gradualmente, de um estado de normalidade para um estado de tensão que traduz com fidelidade o contexto urbano”.

*Kaiodê Biague – além de estudante de arquitetura pelo Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix, em Belo Horizonte, costuma fazer uns freela como designer gráfico, ama a cultura urbana e sonha com o dia em que as pessoas utilizarão o transporte público por opção e não pelo contrário.