Quase quatro milhões de carros elétricos nas ruas

Frota de carros elétricos para aluguel em Amsterdã, Holanda. (Foto: Daimler)

Por Evaldo Costa. Publicado na Cross Brasil, em 08/01/2013.

Desde o lançamento do Nissan Leaf e Chevrolet Volt, no final de 2010, os veículos elétricos e híbridos plug-in tornaram-se amplamente disponível na América do Norte, Europa Ocidental e parte da Ásia. Os veículos híbridos elétricos (VHE), que apareceram pela primeira vez na década anterior, já estão vendendo regularmente nessas regiões.

Segundo um relatório da empresa de pesquisa Pike Research, as vendas anuais globais dos veículos elétricos (VEs), irão alcançar 3,8 milhões de unidades em 2020. Para se ter uma ideia do quanto representativo é esse volume, basta verificar que esse foi o total de autoveículos vendidos no Brasil, quinto maior mercado automobilístico mundial, em 2012.

  Quase quatro milhões de carros elétricos nas ruas

A principal razão para o aumento do volume de vendas dos VEs, é que o mercado está se expandindo de forma constante, os preços dos combustíveis continuam altos e a conscientização da população sobre a necessidade de reduzir a poluição provocada pelos autoveículos aumentando.

Muito embora o relatório não fale diretamente, há pelo menos mais três pontos que contribuirão para o aumento das vendas dos veículos elétricos e híbridos plug-in. O primeiro é o endurecimento da política governamental com regras mais rígidas em alguns países, a exemplo dos Estados Unidos, onde se exige que o consumo e a poluição reduzam um pouco mais a cada ano. O Segundo são os incentivos oferecidos, por alguns países, para os consumidores que comprarem veículos elétricos e o terceiro, o desenvolvimento de novas tecnologias garantindo maior autonomia aos VEs e VEHPs.

Estimativas, contidas no referido relatório, dão conta de que as vendas de veículos elétricos plug-in vão crescer a taxa anual de quase 40%, durante o restante desta década, enquanto o mercado global de automóveis vai expandir por apenas 2% ao ano. Neste sentido, provavelmente, haverá mudança no ranking das maiores marcas globais. Pois, nem todos as montadoras que detém bom desempenho nas vendas dos modelos a combustão, conseguirão sucesso no mercado de híbridos e elétricos.

O relatório divide o setor dos carros elétricos e híbridos em três categorias: veículos elétricos híbridos plug-in (VEHPs ou PHEV em inglês), Veículos híbridos (VEHs ou HEV) e veículos elétricos (VEs ou BEV). Segundo o relatório, o número de VEHPs vendidos na maioria das regiões será inferior ao de VEs, exceto na América do Norte e América Latina. Nestas regiões, os VEHPs  serão mais atraentes para os consumidores.

Nas demais regiões com densas áreas urbanas e custo elevado dos combustíveis derivados do petróleo, os VEs venderão mais, proporcionalmente, do que os híbridos (ver gráfico acima).

Fonte: Pike Research