“Mobilidade doce” e mais acessibilidade

Claudio Silva. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

Claudio Silva, arquiteto da Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades (SeMob), abriu sua apresentação durante o workshop PAC Mobilidade Urbana: como construir projetos sustentáveis citando o urbanista colombiano, Ricardo Montezuma: “Deixamos de falar em veículos e infraestrutura para falar de pessoas e mobilidade. Foi o que ele disse e, desde então, isso me fez pensar”.

O conceito de “Mobilidade Doce”, criado na Bélgica, refere-se a deslocamentos de transporte não-motorizados, dando prioridade para deslocamentos a pé e por bicicleta. “Está relacionado a olhar para a cidade com uma certa doçura”, explica Silva, que trabalha com projetos de revitalização de espaços urbanos.

O especialista apresentou os requisitos principais para pensar a mobilidade para ciclistas, pedestres e pessoas com deficiência ou restrições de locomoção. De acordo com Silva, é necessário haver uma rede completa de ciclovias integradas a outros modais como ônibus, metrô, etc, sem que se esqueça da acessibilidade. “As pessoas que têm deficiência tem o mesmo direito de se deslocar pela cidade, assim como nós, que não temos problema algum. É fundamental esclarecer isso”, pontua.

Silva. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

As boas condições de pavimentos e calçadas públicas ajudam os deficientes e também convidam as pessoas a usarem mais o espaço urbano, sem necessitar tanto do veículo particular. “Um fato que convida ou não um pedestre a caminhar é a qualidade do espaço urbano que ele terá que passar. Por isso é necessário investir em revitalização de ruas. Assim as pessoas sabem que podem caminhar e encontrar um vizinho, um amigo ou até o amor da sua vida”, brinca.

Claudio Silva é graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Viçosa (2001), mestre em Planejamento Urbano e Projeto Urbanístico pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília (2009). Arquiteto da Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades, tem como principal motivação a ressignificação dos espaços públicos das cidades: entre espaços de passagem e permanência. Acumula o cargo de professor de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Paulista.

Debate
Ao lado de André Jacobsen, Claudio Silva foi o último palestrante do workshop PAC Mobilidade Urbana: como construir projetos sustentáveis, desta manhã. No final das apresentações, Luis Antonio Lindau, diretor-presidente da EMBARQ Brasil, conduziu o debate com os especialistas e esclareceu dúvidas dos prefeitos e técnicos presentes.

Veja a programação para o período da tarde e aguarde mais informações aqui no site.