Ferramentas para melhorar a mobilidade

Otávio Cunha, da NTU. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

Os instrumentos e diretrizes para melhorar a mobilidade do brasileiro já existem, mas precisam ser bem aplicados. O presidente da Diretoria Executiva da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), Otávio Vieira da Cunha Filho, apresentou algumas das boas práticas de transporte e mobilidade que já existem no país, em sua palestra durante o workshop PAC Mobilidade Urbana: como construir projetos sustentáveis, na tarde desta quarta-feira, em Brasília.

Otávio Cunha iniciou apresentando o “círculo vicioso do transporte” que estamos inseridos à medida que mais carros e estradas são construídos e, assim, mais pessoas motivadas a utilizar o automóvel. Investimento em infraestrutura para o transporte coletivo é uma das ferramentas para ajudar a sanar o problema dos deslocamentos urbanos.

“A Política Nacional de Mobilidade Urbana é um instrumento que vai colocar aos governantes a oportunidade de se pensar em planejamento de transporte, no planejamento da cidade. Vamos poder planejar a vida das cidades pelos próximos 20, 30 anos – o que não foi feito em décadas passadas”, explica.

Otávio Vieira da Cunha Filho, da NTU. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

O especialista defendeu a possibilidade de se criar órgãos com representantes da sociedade civil junto ao poder público para que a sociedade expresse suas necessidades reais. Com isso, há mais diálogo e a chance de tomar as decisões acertadas aumenta substancialmente.

Foram apresentadas cidades que já estão pensando e planejando sua mobilidade por meio de planos estruturados como Belo Horizonte, Goiânia, Londrina, Recife, Rio, São Paulo, Fortaleza, Curitiba, Porto Alegre, Campo Grande e Manaus. Destaque para o Serviço de Informação Metropolitano (SIM), de Goiânia; o Bilhete Único da capital paulista; a redução das tarifas em Curitiba; o Selo Verde e o BRS, do Rio de Janeiro; o IntegraBike, de Sorocaba, e os sistemas BRT e faixas exclusivas para os ônibus em diversas cidades brasileiras.

Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil

Também foi lembrado por Otávio Cunha o projeto BRT do Rio de Janeiro, que contará com quatro corredores exclusivos para o sistema até os Jogos Olímpicos de 2016. O primeiro deles, o Transoeste, já está operando na Zona Oeste da capital fluminense.

“Podemos concluir então que os recursos existem, mas é necessário ter visão e conhecimento para implementá-los. Vamos aproveitar esta oportunidade”, finalizou Otávio Cunha.

Otávio Vieira da Cunha Filho é Formado em Administração de Empresas e Ciências Contábeis, é presidente da Diretoria Executiva da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), membro do Conselho Diretor da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP) e presidente da Seção 1 – Passageiros, da Confederação Nacional do Transporte (CNT). Além disso, é empresário de transporte urbano de passageiros em Marabá (PA).

Debate

No final da primeira rodada de palestras na tarde desta quarta-feira, Otávio Cunha, Rejane D. Fernandes e Luis Antonio Lindau participaram de um debate com os participantes do workshop PAC Mobilidade Urbana: como construir projetos sustentáveis. A mediação foi de Suzy Balloussier, da Fetranspor.