Dilma comenta sobre investimentos do PAC Mobilidade

Presidente Dilma Rousseff. (Foto: Monica Alves)

Em sua coluna “Conversa com a Presidenta”, desta semana, Dilma Rousseff falou sobre os Programas de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade Grandes e Médias Cidades e sua importância para o desenvolvimento do país. Os PACs estão oportunizando investimentos federais substanciais no transporte coletivo, visando a Copa do Mundo de 2014 e o legado para os brasileiros. Abaixo, acompanhe os comentários e a resposta de Dilma à dúvida de um estudante de Aracaju, na coluna publicada na última terça-feira (20) no site do Planalto:

“Oscar Henrique Costa Hardman, 20 anos, estudante de Aracaju (SE) – Presidenta, porque o governo insiste em reduzir o IPI para automóveis em vez de investir esse dinheiro em um transporte coletivo de qualidade?

Presidenta Dilma – Oscar, nós estamos fazendo investimentos expressivos em obras para melhorar o transporte coletivo no Brasil, em parceria com Estados e municípios. O PAC Mobilidade Grandes Cidades, por exemplo, vai investir R$ 32,7 bilhões em 51 municípios com mais de 700 mil habitantes. São obras como a construção de metrôs, Veículos Leves sobre Trilhos e corredores de ônibus, que vão beneficiar mais de 53 milhões de brasileiros. Em julho, iniciamos a seleção de projetos para municípios com população entre 250 e 700 mil habitantes, no PAC Mobilidade Médias Cidades. Serão disponibilizados R$ 7 bilhões para que 75 cidades de médio porte, em 18 estados brasileiros, realizem obras para melhorar seu sistema de transporte coletivo. Sua cidade, Oscar, se enquadra nesta linha de financiamento.  Estão em andamento obras de mobilidade urbana nas cidades sedes da Copa do Mundo de 2014, que somam outros R$ 11,8 bilhões de investimentos em transporte público, em parceria com Estados e municípios. Em simultâneo a todos esses investimentos, adotamos medidas para, entre outras ações, reduzir impostos sobre produtos industriais brasileiros e sobre a folha de pagamento de diversos setores, com o objetivo de fortalecer o investimento e continuar gerando empregos na indústria.”

Fonte: Planalto.gov.br