Bolonha, na Itália, é símbolo de mobilidade sustentável

Piazza Maggiore, Bolonha. (Foto: Federico Fetto)

Além de ser um centro do conhecimento e abrigar a universidade ocidental mais antiga do planeta, Bolonha vem ensinando ao mundo outras lições bem importantes. A 7ª maior cidade da Itália conquistou a última edição do Prêmio Semana Europeia da Mobilidade, cujo tema foi “Mobilidade Alternativa”, em 2011, depois de ter feito grandes investimentos para qualificar o transporte público e algumas áreas urbanas. Com isso, a vida para quase 1 milhão de pessoas que moram na região metropolitana se tornou mais fácil e sustentável.

As mudanças mais significativas realizadas pela prefeitura da cidade foram: bloqueio total da passagem de automóveis em algumas áreas, 143 km de ciclovias, 20 postos de abastecimento para carros elétricos, renovação da frota de ônibus, que hoje opera emitindo menos poluentes. Com mais opções de deslocamento, fica mais fácil para os bolognesi e os turistas deixarem o carro de lado e apostarem em formas alternativas bem mais agradáveis como a bicicleta, a caminhada e o transporte público! Bravo, Bologna!

Abaixo, acompanhe o vídeo “A vida é movimento” feito pela Comissão Europeia à cidade:

Sobre a Semana Europeia da Mobilidade

A Semana Europeia da Mobilidade é um evento anual sobre mobilidade urbana sustentável que acontece desde 2002, organizado com o apoio político e financeiro dos Diretórios Gerais de Meio Ambiente e de Transportes da Comissão Europeia. O objetivo da iniciativa é incentivar autoridades locais a promoverem medidas pró-transporte sustentável para que seus cidadãos experimentem alternativas ao uso do carro.

Cerca de 7.500 ações focadas em mobilidade urbana sustentável já foram contempladas na Semana que, desde 2009, recebe também inscrições de cidades fora da Europa, incluindo países como Brasil, Japão e Colômbia.

A Comissão Europeia também recomenda que as cidades inscritas desenvolvam um Plano de Ação para a Mobilidade Urbana afim de acelerar as mudanças. A iniciativa ajuda autoridades locais a desenvolverem seus próprios planos, fornecendo material de orientação, promoção de intercâmbio de melhores práticas, identifica pontos de referência, e apoia atividades educacionais para os profissionais de mobilidade urbana.