Efeito High Line: os 10 melhores projetos de transformação urbana

Em tempos de preocupação ambiental, arquitetos e políticos começam a repensar a velha fórmula de dar vida à cidade, focada em concreto, asfalto e consumo. Projetos que estão transformando locais com pouca vida em áreas de convívio, cultura e lazer para as pessoas são a nova aposta para restabelecer a conexão da população com a rua. Entre muitos exemplos, como o Parque Madrid Río (Madri) e o Keast Park (Melboune), talvez o mais conhecido e replicado seja a reforma da High Line, que deu aos nova-iorquinos uma área verde e pacífica onde antes havia apenas aço, ferrugem e desperdício.

A partir de Nova York, outras cidades globais se inspiraram para criar espaços urbanos atrativos e sustentáveis em locais esquecidos, promovendo caminhadas, o uso da bicicleta e a interação social. São elas que ganham destaque na seleção feita pelo GOOD, na qual revela os top 10 projetos que transformaram a cara da cidade e estão concorrendo ao Architizer Plus: Urban Transformation Award. Abaixo, conheça os planos mais criativos e bem-sucedidos que trouxeram convívio, cultura e lazer às pessoas:

Seattle Art Museum: Olympic Sculpture Park

Seattle, Estados Unidos
Projetado por Weiss/Manfredi
Mais detalhes aqui.

O Olympic Sculpture Park, do Weiss / Manfredi, em Seattle se tornou um marco no instante em que abriu, em 2006. A forma escultural do parque foi esculpida em um antigo local de áreas industriais degradadas, permeando uma trama urbana difícil que tradicionalmente agiu como uma divisão entre a cidade e a orla. O projeto de larga escala – que utiliza um sistema híbrido de parede de retenção de painéis de concreto e terra para manter 200.000 metros cúbicos de enchimento – tece um caminho em zigue-zague em torno de obras de arte de Alexander Calder e Richard Serra até a Elliot Bay. O parque faz parte de uma iniciativa para revitalizar a orla.

 CaixaForum

Madri, Espanha
Projetado por Herzog & de Meuron
Mais detalhes aqui.

A Herzog & de Meuron descreve o CaixaForum como um “ímã urbano” destinado a atrair não apenas estetas e frequentadores do museu, mas o público em geral. O projeto colocou abaixo uma usina desativada, mantendo o muro de tijolos e mesclando-o a vários elementos esculturais. A fundação foi removida, criando uma praça aberta por baixo do edifício. Uma grande parede de jardim foi erguida ao lado de um edifício adjacente, completando a “identidade arquitetônica”.

Leith Walk

Renderização: Biomorphis

Edimburgo, Escócia
Projetado por Biomorphis
Mais detalhes aqui e aqui.

Hoje parece que existe uma High Line em cada cidade. Apenas olhe para cima e repare que alguma infraestrutura está morrendo, e você está pronto! Mas, ao contrário de outros casos parecidos, a proposta da Leith Walk de Edimburgo tem uma abordagem mais sutil. O projeto, feito pelo Biomorphis, visa criar um corredor urbano cheio de vida, por meio de uma ponte verde ao redor da cidade. O projeto, composto por diversas vigas de madeira, seria construído por artesãos locais, usando materiais regionais. O melhor de tudo é que o público poderia cultivar livremente nos espaços verdes do parque, tornando a estrutura uma atração turística, mas com utilidade para os moradores.

McAllen Public Library

McAllen, Texas – EUA
Projetado por Meyer, Scherer & Rockcastle, Ltd.
Mais detalhes aqui e aqui.

Do comércio para as salas de aula, este antigo prédio da Wal-Mart foi convertido em uma das maiores bibliotecas dos EUA. O espaço do armazém, que equivale a dois campos e meio de futebol, está repleto de corredores de livros. A biblioteca é organizada em torno de conjuntos, que foram distribuídos de acordo com o gênero dos livros.

 Superkilen

Copenhague, Dinamarca
Projetado por Superflex, BIG, Topotek1
Mais detalhes aqui.

Superkilen é um novo parque urbano que atravessa o coração do bairro de Nørrebro, que é o lar de mais de 50 nacionalidades diferentes. O parque de 1,6 km de extensão, que é dividido em três partes temáticas (“Praça Vermelha”, “Mercado Negro” e “Parque Verde”), abriga vários artefatos pop e lembranças culturais originárias de países dos moradores da região. Aqui, é provável que você tropece em bueiros de Paris e fontes de azulejos islâmicas do Marrocos, assim como em sinalizações comunista de néon de Moscou e bancos curvilíneos do Brasil.

 +Pool

East River, Nova York
Projetado por FamilyPlaylab
Mais detalhes aqui e aqui.

O projeto traz o melhor da arquitetura e da tecnologia e combina-os para criar um espaço público totalmente novo e único. A forma de “mais” é imediatamente icônica, sem recorrer a qualquer um dos jogos formais tediosos que assolam a maioria dos projetos arquitetônicos deste tipo. Mais importante ainda, a +POOL é para todos. A equipe por trás do projeto lançou uma campanha forte para conseguir US$ 1 milhão, que serão necessários para realizar o projeto.

 LentSpace


Nova York, Estados Unidos
Projetado por Interboro Partners
Mais detalhes aqui e aqui.

O Lentspace da Interboro transforma um canteiro de obras paralisadas em Lower Manhattan em um parque urbano vibrante. O projeto com paredes modulares e divisores de espaços conta com um arco urbano que revela a instalação. Passa a noção de que a cidade pode ser “refeita” por meio de intervenções coesas e oportunistas no tecido urbano.

 McCarren Pool & Bathhouse

Brooklyn, Nova York
Projetado por Roger Marvel Architects
Mais detalhes aqui.

Demorou quase 30 anos para a McCarren Pool se reerguer após seu fechamento em 1983. A piscina reabriu com muito alarde (e polêmica) no verão passado, mas poucas críticas podem ser feitas contra a renovação sensível que o escritório Roger Marvel Architects propôs, o que inclui novos pavilhões, salas de reuniões e escritórios, e quadras esportivas abertas para os habitantes da área. Madeiras recuperadas do calçadão de Coney Island foram reaproveitadas para revestir os pavilhões, enquanto cestas de arame originais foram aplicadas no teto do lobby com toque decorativo. No inverno, o deck de praia passará a ser uma pista de gelo, fazendo com que a piscina seja frequentada o ano inteiro.

 Happy Magic Water Cube

Beijing, China

Projetado por Forrec Ltd. (Water Cube by PTW Architects)
Muitas vezes, o legado arquitetônico de uma Olimpíada é marcado pela melancolia, a entropia e a ferrugem. Basta olhar para o que ficou dos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004 para ver do que estamos falando. Autoridades em Pequim foram escaladas para não deixar que o acampamento Olímpico de 2008 caísse na decadência. Verdade seja dita, o Ninho de Pássaros está em um estado ambíguo de uso e desuso, mas o mesmo não pode ser dito sobre o Watercube. Em 2010, a estrutura foi adaptada e passou a ser um parque aquático cheio de tobogãs diferentes.

 Metropol Parasol

Sevilha, Espanha
Projetado por  J. MAYER H. Architects
Mais detalhes aqui.

O Metropol Parasol paira como um crescimento selvagem e estranhamente “orgânico” no meio da velha Sevilla, espalhando suas nuances de cogumelos bem em cima do mercado central histórico da cidade. O Metropol Parasol é uma história brilhante de sucesso no quesito espaço público: o mercado central agora é um destino interessante, com residentes e turistas indo para a rua e aproveitando a praça. O local também se tornou um espaço para movimentos populares de protesto.

 

Fonte: GOOD.is