Campinas lança sistema de bicicletas públicas

Depois de São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis e Porto Alegre, Campinas é a mais nova cidade brasileira a adotar o sistema de aluguel de bicicletas públicas. Batizado de Viva Bike Campinas, o projeto foi inaugurado no último Dia Mundial Sem Carro (22), colocando à disposição 200 bicicletas em 20 pontos do município. A expectativa é que o sistema completo, em funcionamento, disponibilize 6 mil bikes para os campinenses.

A ótima notícia é que, em menos de três dias após a inauguração, a empresa responsável pela operação do sistema, a Brasil e Movimento, já registrava mais de mil usuários cadastrados. A rápida adesão também foi fruto de uma promoção de inauguração que a Prefeitura realizou: os primeiros mil registrados vão pagar apenas R$ 6 pelo cartão que dá acesso ao serviço pelos próximos seis meses. Bom negócio!

As bicicletas são equipadas com GPS. (Foto: Carlos Bassan / EMDEC)

Tarifas

Os interessados em utilizar o Viva Bike Campinas devem pagar uma taxa de R$ 40 para confecção do cartão de acesso ao sistema, que é válido durante seis meses. Além disso, há a cobrança de R$ 10 correspondente ao seguro. Veja a tabela abaixo e entenda as tarifas conforme tempo de uso:

Tempo  Valor 
Até 30 minutos GRÁTIS com o passe
Ultrapassar 30 minutos R$ 5,00
Ultrapassar 1 hora R$ 10,00 x cada 30 minutos
Ultrapassar 2 horas R$ 20,00 x cada hora
Ultrapassar 24 horas multa de R$ 450,00 + todos os atrasos acumulados a partir dos segundos 30 minutos + denúncia (Se devolver a bicicleta antes das 27 horas a denúncia é retirada)

Em casos de emergências e dúvidas, as pessoas poderão ligar para  0800 702 4170 (atendimento pessoal: das 09h às 13h e das 14h às 17h de segunda a sexta-feira, demais horários e dias da semana o atendimento será eletrônico).

Clique aqui para fazer o cadastro no Viva Bike Campinas!

Veja o mapa das estações.

Cada estação comporta 10 bicicletas. (Foto: Carlos Bassan / EMDEC)

Mas Campinas está preparada para as bicicletas?

Com a nova opção de mobilidade por duas rodas surge a dúvida. De acordo com o Plano Cicloviário da cidade, atualmente, Campinas possui 24,2 km de ciclovias e ciclofaixas:

  • Ciclofaixa de Lazer do Centro: com 9,1 km (a ciclofaixa funciona somente aos domingos e feriados, das 7h às 12h; e tem o espaço totalmente segregado por cones, além de pintura no solo e operação de agentes da Mobilidade Urbana);
  • Lagoa do Taquaral: ciclofaixa com 5 km de extensão (a ciclofaixa da Lagoa do Taquaral integra a Ciclofaixa de Lazer do Centro, mas pode ser usada durante todos os dias da semana);
  • Arautos da Paz: ciclovia com 1,2 km de extensão (também integra a Ciclofaixa de Lazer do Centro, mas pode ser usada todos os dias);
  • Ciclovia do Kartódromo: com 1,3 km (funcionamento somente aos domingos e feriados, dentro do Kartódromo, das 7h às 13h);
  • Ciclofaixa de Lazer do Ouro Verde: com 5,5 km (a ciclofaixa funciona somente aos domingos e feriados, das 7h às 12h; e tem o espaço totalmente segregado por cones, além de pintura no solo e operação de agentes da Mobilidade Urbana);
  • Barão Geraldo: 1,2 km de ciclovia e 2,7 km de ciclofaixa;
  • Amarais: ciclofaixa com 2,7 km de extensão (ida e volta);
  • Parque Linear Dom Pedro: ciclovia com 1,7 km de extensão (ida e volta).

Sabemos que ainda está longe do ideal, mas a EMDEC já identificou mais 150 km de rotas cicláveis em todas as regiões do município. A proposta é criar uma rede de ciclovias e ciclofaixas, que será interligada ao serviço de transporte público coletivo municipal. Os trajetos irão atender equipamentos públicos importantes, como escolas, creches, centros de saúde e áreas de lazer. Fique de olho nas novidades e boa pedalada!

Fontes: Prefeitura de Campinas / Brasil e Movimento