Transporte coletivo é desafio para futuros prefeitos

Estamos em plena época eleitoral. As propagandas tomam rádios, televisões, ruas e redes sociais. Os políticos se apresentam e propõem diversas melhorias nas cidades, com muita naturalidade. O problema é que a receita já é bem conhecida e, muitas vezes, as promessas não passam do discurso. Uma das grandes questões que interferem na vida das cidades é a mobilidade, e os políticos precisam encarar, logo, este desafio.

Saturadas pelo imenso número de veículos particulares e seu uso desmedido, as ruas já não suportam a alta demanda de deslocamentos diários. Ao contrário do que muitos acreditam, a solução não está na construção de mais vias – pois isso só atrairia um maior número de carros para o espaço público, aumentando o problema ao invés de resolvê-lo.

É necessário ir mais além. Precisamos de uma mudança de paradigma, como explica Luis Antonio Lindau, diretor-presidente da EMBARQ Brasil (produtora deste blog), em matéria veiculada no Jornal do Almoço, da RBS TV, na última terça-feira (21):

“Não vamos dizer para as pessoas que elas não podem mais comprar carro. Nós precisamos é resgatar parte do espaço urbano viário, prover um bom sistema de transporte coletivo nesse espaço e garantir que este transporte coletivo dê o que as pessoas precisam. Ou seja, mudar o foco do privado para o coletivo”, acredita Lindau.

Com a mudança de foco, os gestores públicos poderão enxergar com mais clareza as reais necessidades de deslocamento das pessoas e, assim, começar a investir em alternativas mais inteligentes e “limpas” de mobilidade. Alguns exemplos seriam: faixas segregadas para ônibus, BRTs, ciclovias e transporte hidroviário. Segundo Lindau, existem três fatores que determinam a qualidade do transporte coletivo urbano e que atraem as pessoas a utilizá-lo:

  • Conectividade
  • Velocidade
  • Confiabilidade
Abaixo, veja a matéria da RBS TV, na íntegra, que aponta os problemas de mobilidade que o futuro gestor de Porto Alegre deverá enfrentar – desafios que se repetem na maioria das grandes e médias cidades brasileiras – e algumas receitas indicadas pelo especialista Luis Antonio Lindau: