Mercado britânico da bicicleta é exemplo para o Brasil

Os Jogos Olímpicos foram momentos incríveis para os britânicos fãs do ciclismo. Bradley Wiggins, vencedor do Tour de France 2012, há duas semanas deu show na sua vitória no contra-relógio, em Hampton Court Palace, conquistando, em seguida, um saco de medalhas de ouro no velódromo.

O impacto sobre o público britânico tem sido enorme. Em uma Olimpíada na qual o grande público britânico ficou de fora dos estádios, que tinham vários lugares VIPs vazios, foi ótimo ver o triunfo no Hampton Court. Os britânicos sempre amaram suas bicicletas, mas com tantos heróis no ciclismo – não só nas pistas, mas também no ciclismo de montanha – o investimento no esporte está mostrando números que tornam o ciclismo mais popular do que nunca.

Wiggins na conquista do Tour de France deste ano. (Foto: Getty Images)

Um relatório recente da London School of Economics (LSE) mostrou que o ciclismo gera cerca de £ 3 bilhões por ano para a economia do Reino Unido (acesse o relatório “The British Cycling Economy”, na íntegra). Este valor leva em conta o fato de que 23 mil pessoas estão empregadas diretamente na indústria, e inclui vendas de bicicletas e acessórios para a magrela. Embora, claro, incentivar o consumo de produtos não seja ecologicamente correto, pelo menos no Reino Unido, há um enorme mercado de bicicletas de segunda mão, que não estão sendo jogadas fora, ao contrário das montanhas de lixo eletrônico gerado pelos smartphones, computadores e outros equipamentos obsoletos.

Segundo o The Guardian, o dr. Alexander Grous, da LSE, que conduziu a pesquisa, disse: “A boa notícia é que a estrutura, os fatores econômicos, sociais e de saúde parecem finalmente ter criado uma mudança radical no cenário da bicicleta no Reino Unido”. Números do relatório sugerem que um aumento de 20% no ciclismo, até 2015, deva gerar uma economia de £ 207 milhões com a redução dos congestionamentos, £ 71 milhões com níveis mais baixos de poluição e £ 52 milhões a menos em custos com o sistema público de saúde.

Loja de revenda de bikes. (Foto: Quite Peculiar)

Nossos políticos estão começando a perceber a importância das bicicletas para o Reino Unido, não apenas em termos monetários, mas também de outras formas. Provavelmente, este ainda não é o caso do Brasil, onde o ciclismo está sendo promovido principalmente por grupos pró-bike e também pelo crescente número de blogs, como o TheCityFix Brasil.

Acredito que este relatório é importante para fornecer provas concretas aos ciclistas brasileiros sobre o impacto das diversas medidas que a Grã-Bretanha adotou ao longo da última década, incluindo o investimento em nossos atletas e esportes ciclísticos. Espero que este relatório seja muito útil para muitos de vocês aqui no Brasil, e eu continuo apoiando todos os seus esforços incríveis para ajudar a desenvolver o esporte para que, um dia, os brasileiros também tenham os seus próprios heróis do ciclismo para aplaudir.