Evento promove debate aberto sobre inspeção veicular no RS

Inspeção veicular já acontece desde 2008 em veículos da cidade de São Paulo.

A poluição do ar nas grandes cidades mata e prejudica a saúde de milhares de pessoas todos os anos. É urgente discutir soluções, como a Inspeção Veicular Ambiental (IVA), para mitigar o problema. Pensando nisso especialistas, políticos e representantes da sociedade civil estiveram reunidos, nesta terça-feira (14), no debate “Por Um Ar Mais Limpo no Rio Grande do Sul”, na Assembléia Legislativa do Estado, em Porto Alegre. O evento foi organizado pelo Sincopeças-RS e marcou o Dia de Combate à Poluição.

O Rio Grande do Sul ainda aguarda a aprovação do projeto de lei que estipula a obrigação da Inspeção Veicular Ambiental (IVA), dentro do PCPV (Plano de Controle à Poluição Veicular), e enquanto isso aprende com a experiência de cidades que já adotaram a avaliação, com São Paulo, que já colhe bons frutos. Por isso, especialistas da maior metrópole da América Latina foram convocados, nesta manhã, para compartilharem as motivações e os desafios na implementação da inspeção na cidade. Foram eles: Dr. Paulo Saldiva, médico e doutor na área de Ciências da Saúde; Carlos Roberto Fortner, engenheiro da Secretaria do Verde e Meio Ambiente de São Paulo; e o presidente da Controlar no Brasil, Harald Peter Zwetkoff. O vereador Beto Moesch mediou o debate.

Relembre as diretrizes do PCPV – Plano de Controle à Poluição Veicular.

Dr. Paulo Saldiva

Segundo Saldiva, o paradigma do automóvel ainda é o grande vilão, já que os veículos são responsáveis por 90% dos níveis de poluição das metrópoles. Anualmente, cerca de R$ 350 milhões são gastos no sistema público de saúde com pacientes que sofrem com doenças causadas pela poluição do ar. “Estamos subsidiando, com nosso dinheiro, uma lógica de mobilidade errada. Alguém está ganhando e todos estão perdendo”, declara o especialista que também é professor titular da Faculdade de Medicina da USP.

Medidas como a esperada inspeção veicular podem ajudar a diminuir estas mortes e perdas econômicas. “É uma ação que está, comprovadamente, reduzindo os níveis de emissões, mas a inspeção precisa fazer parte de um projeto maior. É necessário envolver a população e estimular a cidadania para haver uma mudança de cultura da mobilidade”, diz Fortner, da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente de SP.

O debate ainda contou com a presença de lideres locais: o diretor-presidente e o diretor-técnico do DETRAN/RS, Alessandro Barcellos e Ildo Mário Szinvelski, respectivamente; os presidentes das entidades Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do RS (Sindirepa/RS), Enio Guido Raupp, Sindicato Intermunicipal dos Concessionários e Distribuidores de Veículos RS e Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Sincodiv/Fenabrave), Fernando Esbroglio, Sindicato Médico do RS (Simers), Paulo Argollo Mendes; Fecomércio, Zildo de Marchi e Fiergs, Heitor José Müller. Além da presença do presidente da Assembleia, Alexandre Postal.