Londres: “Caminhar pode ser a melhor opção” durante as Olimpíadas 2012

Cidade se prepara para início dos Jogos, dia 27 deste mês. (Foto: Charlie Riedel/AP)

As Olimpíadas de Londres estão chegando e milhões de pessoas do mundo inteiro estão desembarcando na capital londrina para assistir aos Jogos. Ou para aproveitar a desculpa e fazer um turismo básico… E claro que, com o aumento repentino no número de pessoas na cidade, não há transporte que dê conta!

Preocupados com a superlotação do metrô mais famoso do mundo, que deverá receber um milhão de passageiros a mais diariamente durante o período olímpico (27 de julho a 09 de setembro), o Departamento de Transportes de Londres (Transport for London) criou uma campanha para estimular as pessoas a se deslocarem a pé.

“É mais rápido do que você pensa”, diz o guia de bolso distribuído nos horários de pico nas estações de metrô que receberão maior fluxo de pessoas. O guia traz um mapa que divide a região em zonas de fácil acesso caminhando, em raios de 10, 15, 20 e 25 minutos de distância. Além disso, o panfleto informa o tempo para percorrer cada rua da região, o cronograma de competições que mais afetarão o transporte, e quantas calorias uma pessoa gasta ao percorrer a pé o trajeto que faria de metrô.

“É mais rápido do que você pensa”, diz o panfleto. O guia traz planilhas personalizadas para cada estação, dizendo o tempo e quantas calorias se gasta para cada distância.

Mas para aqueles que não acham a caminhada uma ideia tão interessante assim, o guia traz a bicicleta como alternativa ao metrô e ao carro. “Você sabia que há 47 percursos do metrô que podem ser realizados de bike em menos de 10 minutos?”, instiga a campanha. Londres não é uma daquelas cidades com ciclovias por todos os lados, mas os ingleses estão acostumados a conviver em paz com a bicicleta nas ruas, então é seguro andar por ruas comuns. E quem não tem sua bike própria (ou não é da cidade e está sem a sua), pode contar com o sistema de aluguel de bicicletas, o Barclays Cycle Hire.

Segundo o órgão, o maior conflito nos transportes públicos acontecerá quando houver encontro entre aqueles que utilizam o sistema regularmente e os espectadores dos jogos. Por isso, a campanha intensifica seus esforços nas linhas: Central, Jubilee e DRL que, junto com outras 28 estações, deverão superlotar nos horários pico: das 7h às 10h e das 16h às 20h. Esse foco, porém, não significa que o resto do sistema vá estar tranquilo: além dos espectadores, a cidade estará repleta de pessoas da “família olímpica”, como jornalistas e voluntários, que têm passes-livres para circular por toda a cidade durante o período das Olimpíadas.

Já mostramos aqui no blog outras ações do Departamento de Transportes de Londres a favor dos deslocamentos a pé, como os mapas Legible London, que mostram rotas de fácil acesso a pé, e o aplicativo para smartphone que soma pontos e transforma em prêmios os quilômetros percorridos por quem usa meios de transporte não poluentes. Essas ações fazem parte de uma campanha maior do órgão para estimular as pessoas a se exercitarem mais e levarem vidas mais saudáveis. E, durante eventos de grande movimentação na cidade, como as Olimpíadas, caminhar pode realmente ser a melhor opção. Além de evitar a superlotação do metrô, dá para passear, ver pessoas diferentes e experimentar a cidade de outra maneira!

Fonte: Terra