Ciclovia para pedestres?

Foto: Lívia Stumpf / Zero Hora

As polêmicas em torno da ciclovia da Avenida Ipiranga, uma das mais movimentadas de Porto Alegre, continuam. Com previsão para ter um total de 9,4 km até o final do ano, o caminho dos ciclistas conta, até agora, com apenas 416 m construídos, que estão sendo usados mais pelos pedestres do que pelos próprios bikers.

Em matéria da Zero Hora de ontem (24), a jornalista Juliana Brigidi de Mello conta que em uma hora que a reportagem acompanhou o trajeto, passaram por ali mais pessoas a pé do que ciclistas. Isso se explica porque os pedestres acreditam que o pavimento da ciclovia é mais adequado e seguro do que as calçadas da região. “Só vi ciclistas uma vez. Aqui é melhor de caminhar porque o piso é bem nivelado”, diz Gilberto Oliveira, aposentado, que caminha duas vezes por dia na ciclovia.

Já os ciclistas acreditam que precisa haver colaboração de todos, pois contam com pouquíssimas opções de ciclovias na cidade e ainda as dividem com os pedestres. “Agora temos o nosso espaço. Tem de conscientizar as pessoas a ter respeito”, declara o biker Reinaldo Ongaratto, que pedala 20 km por dia no pequeno trecho.

Certamente a ciclovia tem que ser exclusiva dos ciclistas, por questões de segurança, mas a atitude das pessoas que caminham pela rota das bikes só chama atenção para um conhecido problema: as más condições de pavimentos urbanos e calçadas da capital gaúcha. O tema, inclusive, já rendeu protesto bem-humorado na internet.

E você, o que acha? É um problema público ou responsabilidade de cada um entender que a ciclovia é para as bicicletas, independente de outros fatores? Deixe seu comentário.

  • http://www.facebook.com/taisa.scavone Taísa Scavone

    Claro que o ideal seria RESPEITO à modalidade que se pede na via. Ali naquele ponto, especificamente,o Mensageiro da Caridade ocupa, muitas vezes o passeio TODO com seus caminhões e carros que param NA CALÇADA  para carga e descarga. O pedestre, entre lutar com caminhões e carros, prefere se arriscar no meio das bicicletas. Tomara que isso não  vire um hábito tipicamente PORTO-ALEGRENSE (se é que já não virou) visto que na ciclovia do gasômetro, o que mais tem é gente caminhando. Em outras cidades as pessoas já entendem que ciclovias são, obviamente para bicicletas. Segundo o pessoal da EPTC, talvez o pedestre desista de utilizá-la como passeio quando os ciclistas ocuparem, de fato, este espaço assim como os carros fizeram com as ruas. E tomara que não fiquem muito brabos se forem atingidos por uma bicicleta à incríveis 15Km/h na menor ciclovia do mundo.

  • Pingback: Porto Alegre investe em revitalização de calçadas | TheCityFix Brasil

  • http://twitter.com/djegovsky Djegovsky

    Em qualquer país de primeiro mundo as ciclovias são PROIBIDAS para pedestres. Mas, enfim, vivemos ainda no terceiro mundo…

  • Pingback: Porto Alegre investe em revitalização de calçadas – Blog das PPPs