A três semanas da Rio+20, governo incentiva consumo de carros

Foto: Claudio Capucho

O governo brasileiro anunciou um pacote de medidas para estimular a produção de carros, além da redução dos impostos e a melhora das condições de crédito para a compra de veículos. O objetivo é aquecer a economia através de estímulo do consumo. Porém, movimentar o mercado através de medidas nada sustentáveis como esta parece um tiro no pé das metrópoles brasileiras, especialmente, a apenas três semanas da megaconferência global sobre desenvolvimento sustentável, a Rio+20, na cidade do Rio de Janeiro.

Além do aumento do consumo, que gera danos ao meio ambiente, o incentivo à venda de veículos acentua o grande problema de mobilidade nas cidades. Para entender sobre os riscos e os porquês da decisão do Itamaraty ouça a reportagem de Lúcia Müzzel, veiculada hoje (24) no RFI, sobre o assunto. Deram suas opiniões os especialistas Fábio Alves, da WWF Brasil; o engenheiro ambiental Haroldo Mattos de Lemos, professor da Escola Politécnica da UFRJ; e o urbanista Vinícius Netto, professor da Universidade Federal Fluminense.

Mais alertas
O jornal Zero Hora, do RS, também publicou matéria, na edição de ontem (23), mostrando preocupação com a facilidade de compra dos automóveis no Brasil. A reportagem traz simulações, baseadas em dados do IBGE, que comprovam que o incentivo à venda de carros piora a situação das ruas já congestionadas em capitais onde há um automóvel para cada dois habitantes, como o caso de Porto Alegre. Veja o infográfico feito pelo jornal gaúcho: