Experiência BRT – Missão de Imprensa: conheça o grupo que esteve na Cd. do México e LA

Depois de muitas descobertas, chegamos ao fim da primeira Experiência BRT – Missão de Imprensa que passou por Cidade do México e Los Angeles. Como vocês acompanharam diariamente aqui no TCFB, conhecemos dois dos principais sistemas BRT do mundo, o mexiquense Metrobús e a Orange Line de LA, além de outras intervenções urbanas e ideias interessantes para contar e levar na bagagem de volta ao Brasil. Relembre os melhores momentos clicando aqui.

Equipe da primeira missão de imprensa da Experiência BRT. (Foto: Eduardo Weihermann)

Mas assim como encontramos muitas novidades fora, também encontramos dentro do próprio grupo de jornalistas da Experiência BRT, que vai deixar saudade por aqui! Conheça os jornalistas:

Foto: Mariana Gil/ EMBARQ Brasil

Edimilson Ávila, TV Globo

Paranaense de Londrina, Edimilson Ávila mora há 17 anos no Rio e há dois comenta sobre cidade e transporte na Globo Rio. Ávila é um dos idealizadores do Radar RJ,  programa que existe desde 2007 para ajudar a população a se deslocar pela cidade com informações sobre trânsito, condições climáticas, obras, etc. O paranaense de 44 anos acredita que a experiência na Cidade do México e Los Angeles são importantes para “ver o que está sendo feito e assim ter uma opinião cada vez mais bem qualificada” sobre o BRT e outras mudanças urbanas à medida que o Rio se prepara para receber o novo sistema de transporte público.

 

***

Foto: Mariana Gil/ EMBARQ Brasil

Júlio Lubianco, Rádio CBN

O mais jovem do grupo, com 28 anos, está acostumado a cobrir Cidades, desde 2003, quando iniciou no Jornal do Brasil. Em pouco tempo Lubianco passou para a Rádio CBN, onde atualmente é repórter e responsável pela edição do site. Na casa, o jornalista conquistou importantes prêmios, entre eles o prêmio Embratel, com uma série chamada Agressão a Professores, junto com a colega Cátia Toffoletto, em 2007. Lubianco, que também dá aulas de Edição de Rádio, sempre foi usuário intensivo do sistema público de transporte.

 

***

Foto: Mariana Gil/ EMBARQ Brasil

Marcelo Castilho, TV Brasil

Com mais de 20 anos de profissão, Castilho tem algumas histórias para contar, além da sua paixão pelo América Futebol Clube. O carioca de 42 anos já trabalhou em rádio, revistas e em muitas emissoras nacionais, entre elas, SBT onde também foi apresentador ao longo de 10 anos de casa. Atualmente, é repórter da TV Brasil há três anos. Castilho acredita que ser repórter te permite estar o mais perto possível da notícia e assim ser a interface entre a população e o bem público, sempre levando informação.

 

***

Foto: Mariana Gil/ EMBARQ Brasil

Marcelo Dias, Jornal Extra

O carioca de 37 anos iniciou carreira no extinto Jornal do Brasil aos 21 anos. Logo entrou para o grupo Infoglobo, no Jornal Extra, onde faz cobertura de transportes desde 1998, além de outras áreas como política. O jornalista conquistou o Prêmio Mobilidade Urbana da Fetranspor em 2011, com uma série de reportagens mostrando que a população não tem a quem recorrer para cobrar transporte público de qualidade. Dias acredita que transporte é o setor que mais afeta a população, direta ou indiretamente, independente de classe social. Por isso, deve receber atenção especial da imprensa.

 

***

Foto: Mariana Gil/ EMBARQ Brasil

Sérgio Leite, TV Globo

Há 28 anos na TV Globo (16 como repórter-cinematográfico), Leite faz parte da Equipe do Factual da Editoria Rio e está sempre alerta para ir a rua à procura das melhores imagens. Bacalhau, como também é conhecido, começou como assistente em matérias subaquáticas ao lado do repórter Francisco José e a sua paixão pelo mergulho acabou o levando para outra: a câmera. Desde então, Leite busca “imagens que falam por si só” para os principais telejornais da casa, como Jornal Nacional, Jornal Hoje e RJTV.

 

***

Foto: Mariana Gil/ EMBARQ Brasil

Sérgio Meirelles, TV Brasil

Meirelles, 52 anos, começou a trabalhar com vídeo aos 26 em uma produtora em São Paulo. Quando estava ajudando na produção da novela Cortina de Vidro, da SBT, substituiu um cinegrafista que havia faltado e desde então não saiu do posto. Em 90 ingressou na Record, onde foi editor e diretor de imagens até ir para Nova York como correspondente durante dois anos e meio. Depois de alguns trabalhos como freelancer, foi contratado pela TV Globo. Lá trabalhou em programas como Domingão do Faustão, Muvuca e Linha Direta, onde ficou durante 10 anos, até o programa sair do ar. Há dois anos está na TV Brasil, na equipe do programa esportivo “Estádio” e no Jornalismo.