Experiência BRT, dia 4: população aprova aumento de impostos em prol da mobilidade coletiva

Transporte público em Los Angeles. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

Não tem hora para ter congestionamento em Los Angeles. Basta sair com o carro, andar poucos quilômetros e pronto, você já está parado em uma longa fila de automóveis. O BRT surge, então, como uma possível solução ao caos, já que é um transporte de massa que emite bem menos poluentes em alta performance. Mesmo com baixa demanda, 22 mil pessoas por dia, a Orange Line já conquistou a confiança e o prestígio dos habitantes do Condado de Los Angeles que, recentemente, provaram que estão preocupados com a situação da mobilidade.

Em votação popular, os residentes aprovaram o aumento de 0,5% de impostos que será revertido para o Plano Estratégico de Transportes para os próximos 30 anos, o Long Range Transportation Plan (LRTP). No total, está previsto investimento de 40 bilhões de dólares distribuídos em 12 diferentes projetos de mobilidade, baseados em necessidades-chave da população.

“Achei legal que a população local votou e aprovou um aumento de impostos para financiar projetos de mobilidade, BRT ou não. As pessoas provaram que não dá mais para ficar dependente de carro”, afirma Marcelo Dias, repórter do Jornal Extra e integrante do Experiência BRT – Missão de Imprensa.

“É importante vermos uma conscientização de que devemos estar preparados para o futuro. Não adianta vivermos em uma cidade onde ninguém entra e ninguém sai porque não houve planejamento. Quando você propõe um aumento e explica porque está aumentando e para onde vai o dinheiro que será arrecadado, as coisas ficam mais fáceis de serem aceitas”, complementa Marcelo Castilho, da TV Brasil, também membro do grupo que viajou à Cidade do México e Los Angeles.

Jornalistas tiram dúvidas sobre o sistema com Dave Sotero, do LA Metro. (Foto: Mariana GIl / EMBARQ Brasil)