Experiência BRT, dia 2: lições do Metrobús

Lubianco entrevista usuários do sistema. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

Ontem o dia foi de muitas descobertas durante a exploração ao BRT Metrobús, da Cidade do México. Os jornalistas da Experiência BRT destacaram algumas características do sistema mexicano que seriam bem-vindas no projeto do Ligeirão carioca, que será lançado este mês no Rio de Janeiro:

“O que mais me chamou a atenção aqui foi a gestão pública do sistema. O governo é o responsável por gerenciar o BRT diretamente, o que agiliza a correção dos problemas. Também destaco o fato do governo garantir uma remuneração fixa para as empresas operadoras, assim elas não se preocupam com a quantidade de passageiros e, sim, com a qualidade. Com isso, o governo é responsável em garantir a demanda. Ele é o responsável por equilibrar o sistema, pensando no interesse público e não apenas no lucro”, comenta Júlio Lubianco, da Rádio CBN.

Já para Edimilson Ávila, repórter da TV Globo, o segredo da eficiência passa também pela integração entre os diferentes modais. “O que achei bacana aqui é o fato de compartilhar. Você tem o metrô bem desenvolvido, e aí integra-se o BRT. É importante ter claro isso: não é só metrô, só BRT ou só trem. A gente pode ter um sistema com muitos quilômetros de metrô e muitos de BRT também. Um ajuda e complementa o outro”, analisa.

Edimilson Ávila gravando dentro do Metrobús. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)