Inovação é pauta na 7ª Conferência Internacional de Ônibus

BRT de Guangzhou, na China, é um dos maiores do mundo e investe em integração e informação ao usuário. (Foto: Benjamin)

Na última semana (18 a 20/04), o debate sobre a importância de valorizar e inovar os sistemas de transporte público por ônibus ganhou mais um capítulo relevante. A 7ª Conferência Internacional de Ônibus, organizada pela UITP (Associação Internacional de Transporte Público) em parceria com TOHOB (Associação Turca Privada de Operadores de Ônibus Urbanos) e IETT (Diretoria Geral de Ônibus de Istambul), reuniu especialistas e empresários do setor, em Istambul (Turquia), com o tema “Pense Ônibus: ótimo custo-benefício para as sociedades, atrativo para os usuários”.

De acordo com o UITP, os ônibus são responsáveis por cerca de 80% das viagens de transporte público do mundo, percentual que deve se manter pelos próximos anos – fato que se comprova no Brasil, com as implementações de BRT-Bus Rapid Transit em importantes capitais, como Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Sendo assim, o evento deu enfoque a aspectos que ajudem a aprimorar a qualidade e a eficiência desse importante modal, especialmente como ação estratégica para alcançar o objetivo da UITP em dobrar o transporte público mundial até 2025, por meio da PTx2.

Para mostrar a importância de inovar e desenvolver novas formas de servir o usuário, a conferência contou com relatos de 40 palestrantes, incluindo o Ministro Turco para Assuntos da União Europeia, Egemen Bağış, na presença de 366 participantes de 51 países. Destes, sete foram representando a América Latina. Entre diversos pontos, os especialistas ressaltaram a urgência de se investir em energias alternativas, como a híbrida, além de desenvolver soluções ligadas a TI para melhor atender as necessidades dos passageiros.

Como conclusão geral da conferência em Istambul, confirma-se que o uso apropriado de novas tecnologias é um grande aliado para manter o ônibus entre os modais preferidos em sistemas de transporte público, assim como sua integração com outros meios. Através da conexão entre diferentes modais, o usuário ganha opções para se deslocar, facilitando e qualificando a mobilidade da cidade como um todo.