12 coisas que você deve saber sobre transporte em 2012

A motorização na Ásia ainda está em fase inicial, mas seu rápido crescimento está criando uma enorme tensão sobre os recursos. (Foto: Asian Development Bank)

Este post foi originalmente publicada por Ko Sakamoto, no blog do Banco Asiático de Desenvolvimento, em 14 de março de 2011.

 

Economias asiáticas em rápido crescimento requerem investimentos significativos em infraestrutura de transportes e serviços, além de políticas e estratégias para promover o transporte sustentável. Aqui estão algumas questões que continuam a desafiar este setor.

 

1. O transporte é um pilar fundamental da economia.
O transporte contribui diretamente entre 5% e 10% do Produto Interno Bruto (PIB). Mas sua importância econômica é ainda maior, porque é um elemento intrínseco de quase todas as outras atividades econômicas – sem transporte o valor dessas atividades seria muito reduzido.
Fonte: The Geography of Transport Systems

 

2. O transporte exerce um papel importante na redução da pobreza e no desenvolvimento inclusivo.
Ao melhorar a conectividade e tornar a mobilidade de bens e pessoas mais acessível, o transporte contribui para o crescimento, a eficiência e a competitividade econômica, e possibilita à população de baixa renda maior acesso a oportunidades e serviços.
Fonte: Assessing the Impact of Transport and Energy Infrastructure on Poverty Reduction

 

3. As formas modernas de transporte evoluíram com a industrialização.
O transporte mecanizado surgiu durante a revolução industrial (1750-1850). A invenção da locomotiva a vapor por George Stephenson, em 1814, promoveu a ferrovia a principal meio de transporte terrestre pelos 100 anos seguintes. Os navios a vapor surgiram na mesma época, transformando o transporte e o comércio marítimos. Depois que Henry Ford criou a produção de automóveis em linha de montagem em 1908, o transporte rodoviário gradualmente tornou-se o modo dominante de transporte terrestre.
Fonte: About.com – A História do Transporte

 

4. A maioria dos melhores sistemas de transporte do mundo foram desenvolvidos pelo setor privado.
Isto inclui a maioria das ferrovias na Europa, América do Norte e do Sul, e no subcontinente indiano – embora algumas tenham sido posteriormente nacionalizadas e transformadas em empresas estatais. As principais linhas de navegação internacionais e da indústria de fabricação de automóveis também foram desenvolvidas por empresas privadas. A exceção é infraestrutura rodoviária, que é geralmente considerada um bem público, planejada e desenvolvida pelo governo (em alguns países, essa também é a situação dos portos).
Fontes: A Nation of Steel: The Making of Modern America, Britain and American Railway Development;The Box: How the Shipping Container Made the World Smaller and the World; Six Men Who Built The Modern Auto Industry

 

5. Na próxima década, os países da Ásia e do Pacífico terão que investir USD 2,5 trilhões somente em transportes.
Fonte: Infrastructure for a Seamless Asia

 

6. Os custos humanos do transporte rodoviário são muito elevados.
O congestionamento das estradas provoca perda de tempo e aumenta os custos de transporte, que afeta entre 2% e 5% do PIB dos países em desenvolvimento da Ásia. Problemas respiratórios e outras doenças provocadas pela poluição vinda das emissões dos veículos levam a 500.000 mortes prematuras por ano, custando de 2% a 4% do PIB. Mais de 700.000 acidentes rodoviários fatais acontecem na Ásia a cada ano, assim como milhões de acidentes graves. Esses acidentes custam, estimadamente, mais de 3% do PIB.
Fonte: Urban Transport, Managing Asian Cities, Arrive Alive: ASEAN Regional Road Safety and Action Plan (2005-2010)

 

7. O transporte será um elemento chave na redução da emissão de Gases do Efeito Estufa (GEE) no mundo.
Em 2009, o setor de transportes foi responsável por 23% das emissões globais de GEE, parcela ainda inferior ao setor de energia, responsável por 41%. Mas em 2035 o transporte deve se tornar o maior setor de emissão de GEEE, respondendo por 46% das emissões globais, e em 2050 deve atingir 80%.
Fonte: Turning the Right Corner Ensuring Development through a Low-Carbon Transport Sector

 

8. Atualmente, a motorização ainda está em estágio inicial nos países em desenvolvimento da Ásia.
A quantidade de veículos particulares nos países em desenvolvimento da Ásia é, em média, de 10-30 veículos a cada 1.000 pessoas, em comparação com a média de 600-800 em muitos países avançados. Se adotar sistemas de transporte sustentáveis – com menos dependência de automóveis privados e maior utilização de transportes coletivos de alta qualidade – a Ásia pode satisfazer suas necessidades de transporte com menor motorização do que os países avançados.
Fonte: Changing Course in Urban Transport: An Illustrated Guide

 

9. O transporte sustentável é o novo paradigma no setor de transportes.
Na última década, muitos países têm adotado políticas de transporte e estratégias para promover o transporte sustentável. Entre esses países, estão alguns membros da União Europeia e da Organização para Cooperação Econômica e Desenvolvimento (OCDE), e países em desenvolvimento na América do Sul e na Ásia. A Iniciativa para Transporte Sustentável do Banco Asiático de Desenvolvimento (ADB, na sigla em inglês), aprovada em 2010, voltou a foco das operações de transporte do ADB para apoiar o transporte sustentável, com 30% dos empréstimos na área voltados para transporte urbano e 25% para ferrovias até 2020.
Fonte: Sustainable Transport Initiative Operational Plan

 

10. Sistemas de transporte de massa de alta velocidade são escolhas viáveis para um número cada vez maior de cidades.
Já existem mais de 140 Sistemas BRT no mundo, e um número muito semelhante de Sistemas de metrô urbano.
Fonte: Changing Course in Urban Transport: An Illustrated Guide

 

11. O transporte fluvial tem grande potencial como um meio de transporte mais sustentável e economicamente viável.
O potencial das redes existentes de navegação naturais e criadas pelo homem tem sido negligenciada em muitos países, incluindo na Ásia. Mas muitas das empresas líderes do mercado mundial estão agora aumentando sua utilização do transporte fluvial, pois ele pode oferecer o menor custo, menor emissão para transporte de carga e de containers. Estudos do ADB indicam que um navio cargueiro a motor, com uma carga de 5.000 toneladas no rio Yangtze da República Popular da China, transporta o mesmo que 50 vagões de 100 toneladas cada ou 200 caminhões com 25 toneladas cada.
Fonte: Inland Waterway Transport (IWT)

 

12. Adotar medidas de segurança comprovadas reduz fatalidades e lesões em acidentes viários.
A utilização correta de capacete em motocicletas pode reduzir o risco de morte em quase 40% e o risco de ferimentos graves em 70%. Usar cinto de segurança em veículos reduz o risco de fatalidade entre os passageiros do banco da frente por 40-50%. Se corretamente instaladas e utilizadas, as cadeirinhas para crianças podem reduzir as mortes entre crianças de colo em cerca de 70% e as mortes de crianças pequenas entre 54% e 80%.
Fonte: http://beta.adb.org/publications/infrastructure-seamless-asia

  • Elma

    SE O TRANSPORTE É O PILAR FUNDAMENTAL DA ECONOMIA NÓS DEVERIAM SER BEM MAIS TRATADOS.

  • Elma

    SE BENEFICIA OS BAIXAS RENDAS DEVERIA TAMBÉM SER MAIS BARATOS.