Falta de recursos atrasa plano cicloviário de Natal

No Rio Grande do Norte, falta incentivo e recursos do governo para que o uso da bicicleta seja maior (Foto: Fábio Pinheiro)

Por Paulo Finatto Jr.

Em outubro de 2011, a Câmara de Vereadores de Natal, no Rio Grande do Norte, aprovou o seu plano municipal cicloviário, assim como uma lei que pretendia modificar o transporte urbano da cidade, que atende cerca de 600 mil pessoas todos os dias. No entanto, de acordo com Haroldo Maia, secretário-adjunto de Trânsito da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana de Natal (Semob), mesmo três meses depois ainda não há um prazo para que as ciclovias sejam construídas.

A lei nº 349/2011 – de autoria do vereador Edivan Martins – prevê uma série de modificações na estrutura do transporte urbano de Natal, sobretudo para garantir o espaço dos ciclistas nas ruas. Além da construção de ciclovias nas avenidas de maior tráfego da cidade, a lei contempla outros incentivos para o uso da bicicleta no dia a dia, como a instalação de bagageiros para bikes em ônibus. Ao mesmo tempo, outro projeto encampado, desde junho do ano passado pela Semob, prevê a construção de 48 km de ciclovias e ciclofaixas em diversos pontos de Natal. De acordo com Maia, essas duas medidas juntas já seriam suficientes para fazer de Natal, mais uma vez, a “nova Amsterdã”.

Para a população, a necessidade das obras é urgente. Porém, a falta de recursos, somada à ausência de resposta do Ministério das Cidades sobre a captação dos R$ 10,6 milhões necessários para o início da construção, tornam a possibilidade de transformar Natal em uma filial holandesa, onde as ruas ficariam repletas de bicicletas, um mero sonho. “O grande problema é a falta de recursos. O nosso projeto foi cadastrado no Ministério das Cidades, mas não houve resposta”, lamenta Maia.

Bicicletas em Natal

Em Natal, existem, oficialmente, 21,8 km de infraestrutura para ciclistas. Como nem toda essa estrutura funciona de maneira adequada, é realmente necessário ampliar a rede de ciclovias. Paradoxalmente, o uso da bicicleta é bastante difundido: é o meio de transporte preferido de 3% da população. Todas essas pessoas são obrigadas a disputar espaço com carros diariamente.

Uma pesquisa do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-RN) dá noção do uso desse meio. Em Nossa Senhora da Apresentação, 3,5 mil viagens são realizadas por dia a bordo de bicicletas. É o bairro campeão em Natal, seguido de perto por Lagoa Nova, com três mil viagens; e Pajuçara, com 1,6 mil viagens diárias.

Fonte: Tribuna do Norte