Madri transforma avenida marginal em parque


Marginal foi fechada permanentemente e parte da orla do Rio Manzanares foi revitalizada. (Foto: West 8)

O asfalto virou grama em Madri! A prefeitura resolveu devolver às pessoas o espaço antes ocupado apenas por carros, ao transformar uma das maiores marginais da cidade em um parque de 9 km de extensão. A avenida, que antes poluía e separava bairros e pessoas, agora é o ponto de encontro de muitos madrileños que redescobriram uma área quase abandonada do centro e do Rio Manzanares.

Construído em apenas quatro anos, o Parque Madrid Río, como foi batizado, reúne desde pracinhas e fontes para as crianças se divertirem até calçadas, ciclovias e túneis, que facilitam o deslocamento. Além disso, o espaço segue um plano de integração completo já que além de unir fisicamente os bairros, também possui dezenas de estações de metrô e trem, conectando zonas da periferia ao centro.

Já antigas instalações – como os matadouros, por exemplo – estão sendo reformadas e abrigarão futuras exposições e estúdios de arte e dança, fomentando o cenário cultural e criativo de Madri. Todas essas mudanças “verdes” no centro da cidade vêm agradando, especialmente, os moradores da região que foram os maiores beneficiados com a transformação.

Madrileños ganharam espaço, que antes era apenas dos carros.

“É como se tivéssemos novos pulmões. Quando a marginal ainda passava por aqui, eu ficava sentada assistindo à TV o dia todo. Agora eu me sinto saudável novamente, caminho por horas pelo parque com meus amigos.”, afirma Pilar Lopez, 73 anos, supervisora do projeto e moradora das redondezas.

O grupo de arquitetos responsável pelo projeto é liderado por Gines Garrido ao lado do holandês Adriaan Geuze e sua renomada West 8, empresa especializada em paisagismo e urbanismo. No total, foram investidos 5 bilhões de dólares para a construção do Parque Madrid Río, segundo informações o The New York Times.

Projeto multipremiado

Uma obra audaz dessa dimensão só poderia render em reconhecimento mundial. Em pouco mais de seis meses, o projeto já conquistou uma série de prêmios importantes no âmbito internacional. São eles: “Premio de la Demarcación de Madrid a la mejor obra pública 2011”, do Ingenieros de Caminos, Canales y Puertos; “Premio de Diseño Urbano y Paisajismo Internacional”, do Comitê Internacional de Críticos de Arquitetura (CICA); o prêmio “Green Good Design”, dado pelo Ateneo de Chicago (EUA); e o prêmio da revista “Capital” (Espanha).

O Parque Madrid Río, hoje, é mais um cartão postal da capital espanhola.

Outros exemplos

Outras cidades globais também decidiram transformar grandes espaços antes dedicados aos carros em locais de convivência e lazer, como o caso de Nova York, que pretende ser a metrópole “mais verde do mundo”.

A conhecida High Line abrigava um extenso caminho ferroviário até a década de 1980. Depois disso foi desativada e transformada em um parque de convivência, com gramado, bancos, pequenas fontes e lojinhas. Já falamos sobre a transformação aqui.

O vídeo abaixo feito pelo Streetfilms (com legendas em português) faz parte da série “Moving Beyond the Automobile” e mostra mais cidades que também removeram avenidas para dar espaço às pessoas e ao verde.

Tomara que a moda pegue aqui pelo Brasil também!