Fórum Social Temático debate o meio ambiente em Porto Alegre


Ativistas usaram a criatividade para protestar contra o desmatamento no primeiro dia do evento. (Foto: Francielle Caetano)

“Crise Capitalista, Justiça Social e Ambiental” é o tema do Fórum Social Temático (FST) que começou nesta terça-feira (24), em Porto Alegre. Com mais de 900 atividades, esta edição do FST busca “um outro mundo possível” mais próximo da sustentabilidade do planeta. Os organizadores pretendem ter como resultado do evento a elaboração de propostas alternativas para a Rio+20 àquelas que serão apresentadas pelos governos, na tentativa de ter voz e influência nos futuros encaminhamentos da Conferência Mundial das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, que acontece em junho.

O viés sustentável do evento está estruturado na busca por um modelo de desenvolvimento mais justo social e ambientalmente. Para isso, movimentos sociais, especialistas, ativistas, gestores públicos, artistas, entre outras classificações, reúnem-se na capital gaúcha até o próximo domingo (29). O FST pretende ser uma prévia da Cúpula dos Povos, encontro de movimentos sociais que ocorrerá paralelo a Rio+20.

Entre os nomes confirmados para o FST, estão o sociólogo português Boaventura de Sousa Santos e o jornalista e escritor espanhol Ignacio Ramonet. Também devem marcar presença ativistas que foram protagonistas de movimentos como a Primavera Árabe, o Occupy Wall Street e as manifestações estudantis chilenas.

Além dos eventos do Fórum, a cidade também sedia o II Encontro Brasileiro de Secretários de Meio Ambiente, de 25 a 27 de janeiro. Uma oportunidade que reunirá tomadores de decisão e especialistas na busca por uma melhor articulação política em prol da sustentabilidade. Parafraseando os organizadores do evento: mãos à obra pelo planeta.

A proposta do Conselho Internacional do Fórum Social Mundial (FSM) é fazer do Fórum Social Temático um encontro mundial sobre determinado tema que deve acontecer todos os anos pares no berço em que nasceu o movimento por um outro mundo possível: Porto Alegre. Enquanto o FSM seguirá sendo um evento itinerante.