Fazendo bom uso dos dados de trânsito

Uma versão deste post foi originalmente publicada por , no TheCityFix.com, em 1º de dezembro de 2011.

Foto: Foxymoron

Este fim de semana, o “hackathon” Desarrollando América Latina acontece em seis países: Brasil, México, Peru, Argentina, Chile e Uruguai. O evento tem o foco de resolver problemas sociais através da utilização de aplicativos da web e dados públicos. O objetivo da reunião é criar soluções inovadoras para problemas de educação, segurança pública e orçamento — áreas identificadas e selecionadas por organizações da sociedade civil e agentes governamentais. O evento acontece nos dias 3 e 4 de dezembro, quando desenvolvedores vão se reunir por 30 horas consecutivas para encontrar soluções digitais para os problemas sociais. Conectados por vídeo-conferência, os desenvolvedores serão divididos em equipes que representarão seus respectivos países.

O transporte é um dos problemas regionais que os desenvolvedores vão abordar durante o evento “hackathon”. De fato, um exemplo de como os sistemas de transporte podem melhorar com a utilização de dados abertos está no trabalho de mapeamento de dados de trânsito do Development Seed em Ayacucho, Peru (que já comentamos aquiaquiaqui e aqui). Neste projeto, a empresa criou mapas com as rotas dos ônibus públicos, transformando dados antes nada acessíveis para um formato mais amigável e acessível para o público em geral.

Mapear dados específicos de transporte pode ser uma enorme fonte de informação para urbanistas, especialmente para ajudá-los a compreender o comportamento do passageiro, bem como áreas da cidade que precisam de serviços melhores ou mais frequentes. “Analisando apenas em matéria de trânsito, agora é possível avaliar o trânsito da cidade, identificar onde os semáforos são necessários e simplesmente mostrar aos turistas como chegar aos melhores restaurantes locais”, Ian Ward do Development Seed.

“Novas informações podem ser catalogadas, tais como interseções com intenso tráfego de pedestres, dando base aos urbanistas para desenvolverem melhores transformações e novos sinais de trânsito e para os pedestres”, completa Ward. Mesmo se a visualização dos dados simplesmente apontar para comportamentos já conhecidos há bastante tempo, pelo menos os mapas ajudam a identificar claramente estes comportamentos e tornam-se uma base concreta para a política de educação.

Abaixo veja o interativo mapa de trânsito de Aycucho, feito pelo Development Seed. Explore-o dando zoom e passando o mouse pelas diferentes rotas.