Vídeo critica falta de acessibilidade nas cidades brasileiras

O vídeo, abaixo, parece uma brincadeira, mas o assunto é sério. Um grupo de jovens de Pelotas (RS) resolveu mostrar, de uma maneira diferente, as dificuldades que um cadeirante encontra para se locomover na cidade gaúcha, mas o problema não é exclusivo e está presente na maioria dos municípios pelo país.

Fazendo uma analogia irônica ao Parkour, atividade em que os praticantes saltam por cima de muros e barreiras que encontram usando somente a força humana, o grupo intitulou o vídeo de “Parkour Roulant” (Parkour rolante). Com uma cadeira de rodas, eles se aventuraram por calçadas precárias, desníveis, pouca acessibilidade nas esquinas e ainda a falta de respeito de motoristas.

A intenção é chamar a atenção de políticos e sociedade civil para que mudanças comecem a acontecer logo. Vale a pena assistir e compartilhar!

  • Cecicsilva

    E haja braço forte prá todos esses obstáculos…que vergonha srs.prefeitos…cadê o dinheiro do IPTU? E vamos multar esses insensíveis que estacionam seus carros nas poucas rampas de acesso que existem nas cidades..ou denunciá-los ao guincho municipal, porque se forem efetivamente guinchados, pensarão melhor na próxima vez! Bolso sempre dói mais que ver cadeirantes se “ralando”…

  • Cecicsilva

    E haja braço forte prá todos esses obstáculos…que vergonha srs.prefeitos…cadê o dinheiro do IPTU? E vamos multar esses insensíveis que estacionam seus carros nas poucas rampas de acesso que existem nas cidades..ou denunciá-los ao guincho municipal, porque se forem efetivamente guinchados, pensarão melhor na próxima vez! Bolso sempre dói mais que ver cadeirantes se “ralando”…

  • Pingback: Accessibility View: projeto brasileiro quer criar Google Maps para cadeirantes | TheCityFix Brasil

  • Fernando Zornitta

    – 100% das cidades brasileiras estão inacessíveis e nenhum(a) prefeito(a) está preso(a). Ninguém é responsabilizado e embora as leis, especialmente o Dec. 5296 e a NBR 9050, continuamos do mesmo jeito e administrados pela incompetência. Bastaria os ministérios públicos locais e, com mais legitimidade os mp federais (pois as principais leis são desta esfera, inclusive somos signatários da Convenção da ONU Sobre Direitos das PCDs, que tem artigo específico sobre acessibilidade) ENXERGAREM E PROMOVEREM AÇÕES DIRETAS CONTRA OS(AS) PREFEITO(AS), enquadrando-os.