Projeto cria rede de empréstimo de bicicletas em São Paulo

Equipe do Coletivas conserta e restaura bikes para empréstimo gratuito. (Foto: Divulgação)

 

Por Paulo Finatto Jr.

O que você acharia de ser o zelador de uma bike? Há quatro meses foi criado em São Paulo o projeto Coletivas, com a ideia de disponibilizar bicicletas de uso comum para qualquer pessoa que esteja querendo pedalar pela cidade e ainda não possa – ou não queira – comprar a sua própria. O funcionamento do sistema é bastante simples: uma bike é emprestada por um curto período de tempo e depois devolvida para que mais pessoas possam utilizá-la.

O projeto vai ainda mais além: a manutenção das bicicletas, assim como os lugares para guardá-las, é também uma questão para ser resolvida de forma descentralizada, em uma espécie de acordo entre zelador e usuário. Do mesmo modo, doação de peças e ajuda com mão de obra voluntária em consertos e ajustes são bem-vindas para que a iniciativa seja realmente autossustentável. Tudo funciona de forma colaborativa, inclusive com a realização de oficinas em que dicas de reparo são passadas adiante também sem nenhum custo.

Como não envolve dinheiro, as trocas promovidas pelo Coletivas são baseadas na confiança, o que gera uma via de mão dupla. A pessoa que pega uma bike emprestada, por exemplo, pode fazer algum reparo que julgar necessário, calibrar os pneus ou mesmo devolvê-la mais limpa do que pegou. Não por acaso, o locatário é chamado de zelador pelo projeto: é ele quem vai ajudar a custear a manutenção do equipamento, estabelecendo uma relação de responsabilidade e de mais intimidade com a bicicleta que fora emprestada.

Cada bike possui um nome – e já são onze doadas para o projeto até o momento, comemora Fabrício Muriana, um dos idealizadores do Coletivas. A ideia é justamente criar o sentimento de pertencimento coletivo, tornando as bikes mais do que apenas um número, mas protagonistas do projeto. Em breve cada bicicleta terá um perfil virtual, com dados técnicos, fotos, histórias e depoimentos de quem a pegou emprestada. Outras informações sobre o projeto, que ainda está começando, você encontra no site do Coletivas.

Veja aqui algumas fotos da restauração da “Tica”, uma das primeiras doações do projeto:


  • http://twitter.com/liberosocial Libero Social

    Muito boa idéia! Só falta disponibilizarem vias adequadas para os ciclistas pedalarem com segurança. Mas isto depende mais do governo do que da população.
     
    Parabéns pelo artigo!