Portal Cidade Olímpica mostra transformações do Rio

 

Obras da linha BRT Transoeste (Foto: Moskow / Prefeitura do Rio)

Obras da linha BRT Transoeste (Foto: Moskow / Prefeitura do Rio)

Lá do alto, o Cristo abençoa as obras que estão transformando o Rio, não só para receber as Olimpíadas em 2016, mas principalmente para mudar a vida dos cariocas. A prefeitura está empenhada em garantir que o legado olímpico seja de fato importante para o dia-a-dia dos moradores no futuro e não apenas construções efêmeras e sem utilidade.

A palavra de ordem é integração, tanto urbana quanto social, para que as pessoas menos favorecidas, que hoje vivem em condições precárias, possam se sentir ainda mais parte da Cidade Maravilhosa. As obras para os Jogos Olímpicos são apenas o ponto de partida para a transformação das favelas em bairros estruturados, com serviço, transporte interligado e segurança. O projeto de integração social e física faz parte do programa Morar Carioca (e Bairro Carioca) que pretende urbanizar todas as favelas até 2020.

Para mostrar os esforços que estão sendo feitos, a prefeitura conta com o portal Cidade Olímpica, onde traz conteúdo multimídia completo para todos acompanharem o andamento das mudanças. No site, há fotos, vídeos com time lapses mostrando a evolução das obras, documentários, reportagens, animações em 3D e até um mapa interativo dos trechos que estão passando por mudanças estruturais.

As seções do portal estão divididas entre as obras do Porto Maravilha / Píer Mauá, instalações olímpicas, Morar Carioca, Bairro Carioca e as implementações dos três corredores de Bus Rapid Transit da cidade: Transoeste, Transcarioca e Transolímpica.

Rio abraça o BRT

Servindo de exemplo para outras capitais do país, o Rio de Janeiro optou pela implementação de um dos sistema mais sustentáveis de transporte de massa hoje. O BRT – Bus Rapid Transit é um sistema de ônibus biarticulados que se deslocam em alta velocidade pelos corredores exclusivos, diminuindo o tempo de viagem, se comparado ao serviço de ônibus atual. O pagamento da passagem é realizado fora dos veículos, nas estações, aumentando a agilidade das chegadas e partidas. Para saber mais sobre o BRT, clique aqui.

Juntos, os três corredores que estão sendo implementados na capital carioca (Transoeste, Transcarioca e Transolímpica) irão totalizar 123 km, que conectarão diversos bairros de todas as zonas da cidade. Linhas alimentadoras, com ônibus de menor porte, vão trazer as pessoas dos locais mais afastados para as linhas principais de BRT, que contarão com pontos de integração com outros meios de transporte como metrô, ônibus comum e trens da Supervia.

A EMBARQ Brasil, produtora deste blog, foi a responsável pelas auditorias de segurança viária realizadas ainda em fase de projeto nos corredores BRT do Rio. Abaixo, conheça mais sobre cada corredor:

– Transoeste

Corredor expresso para ônibus que vai ligar a Barra da Tijuca a Santa Cruz e Campo Grande. A Transoeste terá 56 km de extensão e 53 estações de BRT. A expectativa é que a via reduza pela metade o tempo médio de viagem entre os bairros, todos na Zona Oeste do Rio.

– Transcarioca

Corredor expresso que vai ligar a Barra da Tijuca ao Aeroporto Internacional Tom Jobim. A Transcarioca vai beneficiar também moradores do subúrbio da cidade. Com 41 km de extensão, a via cruzará bairros como Madureira, Vicente de Carvalho e Penha, depois de cortar toda a região de Jacarepaguá. A expectativa é que o tempo do trajeto seja reduzido em até 60%, o que vai beneficiar cerca de 400 mil pessoas todos os dias.

– Transolímpica

Os 26 km que ligarão o bairro de Deodoro à Barra da Tijuca pela Transolímpica do BRT farão mais do que encurtar o tempo de deslocamento dos atletas entre as instalações dos Jogos de 2016. Diferente dos outros dois corredores em construção – Transoeste e Transcarioca -, ele servirá de via expressa também para carros, sem cruzamentos ou sinais, como na Linha Amarela.

Assista os vídeos explicativos, realizados pela Prefeitura do Rio, sobre o sistema Bus Rapid Transit: