Pesquisa aponta insatisfação dos brasileiros com o transporte público

Fila interminável no ponto de ônibus

Pontos de ônibus ficam superlotados diariamente em muitas cidades brasileiras. (Foto: Pedro Rocha)

O velho problema continua. Entra ano, sai ano, a população brasileira segue sofrendo com a falta de qualidade e organização do transporte público no país. A pesquisa “Retratos da Sociedade Brasileira: Locomoção Urbana”, divulgada na última semana pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que 54% dos brasileiros consideram o transporte público ineficiente.

O estudo, que foi realizado com 2.002 entrevistados em 141 municípios, apontou que 39% dos brasileiros consideram o sistema de transporte público de sua cidade ótimo ou bom, 28% o classificam como ruim ou péssimo, 26% o consideram regular e 8% não opinaram.

O meio de transporte mais popular é o ônibus, com 34% da população o utilizando como principal meio de transporte Brasil afora. Porém, ainda está longe de ser o mais querido: 31% dos usuários o consideram regular e 24% acham que ele é ruim ou péssimo. Para 45%, o transporte de ônibus é ótimo ou bom. Em segundo lugar na lista dos meios de transporte mais utilizados está a caminhada, com 24% da população se deslocando a pé e, em seguida, o automóvel da família, com 16%.

Ainda de acordo com a pesquisa, 37% da população considera o tempo de viagem o fator determinante na hora de realizar a escolha do meio de locomoção. Ou seja, a insatisfação está diretamente relacionada aos atrasos, pouca frequência e rotas dos ônibus, tráfego congestionado e saturação do número de carros nos centros urbanos. Atualmente, o transporte coletivo é utilizado por 61% dos brasileiros, e 42% o utilizam como principal meio de locomoção de casa para escola ou local de trabalho.

Mas o problema tem solução?

Claro que sim. E os brasileiros sabem disto, já que a maioria acredita que o sistema de transporte público de sua cidade vai melhorar nos próximos três anos. Entre os entrevistados, 49% acham que haverá melhora contra 12% que acreditam que vai piorar. Outros 30% acham que o transporte público ficará estagnado em termos de qualidade e 10% não quiseram ou não souberam responder.

Soluções financeiramente atrativas e amigáveis ao meio ambiente não faltam para sanar as carências e aumentar o número de adeptos ao transporte público no Brasil, ainda mais com Copa do Mundo e Olimpíadas pela frente.

Alguns exemplos seriam: construção de mais corredores exclusivos para ônibus, implementação de sistemas BRT – Bus Rapid Transit, além da criação de ciclovias e bicicletários integrados àqueles serviços. Pois vale lembrar que 68% dos brasileiros utilizam mais de um tipo de transporte para se deslocar de casa até outros locais de rotina, ou seja, a integração entre diferentes modais não é apenas uma opção, mas uma necessidade.

Agora cabe aos líderes políticos e públicos darem a atenção necessária ao problema, para que o otimismo da população brasileira não acabe virando decepção.

Para acessar a pesquisa da CNI na íntegra, clique aqui.

  • Cecília C. Silva

    Enquanto 45% dos usuários ainda acha ótimo ou bom o transporte coletivo do jeito que está; as auroridades responsáveis nada farão!
     Que tal começarmos a fazer movimentos do tipo “BRT JÁ! Garanto que pelo menos no quesito filas de embarque já sairíamos ganhando e também no tempo gasto entre as paradas; o que já acontece no “velho” e bom trensurb..
    CICLOVIAS também seriam muito bem vindas, principalmente aqui na zona sul de POA, já que por aqui há lugares, com por exemplo a av. Cel Marcos, que nem acostamento tem! Eu, que moro e trabalho no bairro, sou obrigada a sair de carro porque tenho medo do trânsito…e sem acostamento não é seguro nem para andar à pé!!!