Evento apresenta plataformas para desenvolver cidades inteligentes

Dividindo carona com seus colegas de trabalho já é o bastante para ajudar a diminuir o trânsito e a poluição (São Paulo) Foto:Yahoo! Notícias

Num mundo já bastante castigado pelas mudanças climáticas, poluição e congestionamentos, o conceito de smart town cresce a cada dia. Muitos urbanistas e engenheiros estão apostando na tecnologia para desenvolver projetos sustentáveis e mais convidativos às pessoas, para transformar a ideia de cidade como a conhecemos hoje e melhorar a qualidade de vida de todos.

O primeiro passo para a mudança é mostrar que é possível viver em centros urbanos mais bonitos, saudáveis, organizados e inteligentes, se contarmos com a ajuda das inovações tecnológicas. Pensando nisso, a Associação Cidade Escola Aprendiz está realizando uma pesquisa, em parceria com a Universidade de Harvard, MIT e o Catraca Livre, para desenvolver plataformas que ajudem na criação de cidades mais inclusivas, sustentáveis e educadas a partir das novas tecnologias.

No intuito de apresentar os resultados dos estudos até aqui, o Aprendiz vai realizar o evento “Cidades Inteligentes – Como as tecnologias da informação produzem cidades mais educadas”, na próxima terça-feira (16), a partir das 18h, no Instituto Itaú Cultural (Avenida Paulista, 149 – São Paulo, SP).  Na abertura, o colunista da Folha de S.Paulo, Gilberto Dimenstein, a diretora da Cidade Escola Aprendiz, Natacha Costa, e Lia Roitburt, do Catraca Livre, vão apresentar a temática e o contexto do estudo.

Em seguida, palestrantes irão falar sobre suas experiências em projetos já implantados de transporte sustentável, que utilizam plataformas online, como aluguel de bikes e compartilhamento de caronas, além de serviço via web de troca de produtos. São eles: Marcio Nigro, sobre o Caronetas; Gui Brammer, sobre o Descola Aí; e Lincoln Paiva, sobre o Campus Aberto – projetos que já citamos aqui. Vale conferir!

Ainda no encontro, acontecerá o talk show de lançamento do livro “É rindo que se aprendiz”, do jornalista Marcelo Tas e a entrega do prêmio Educador Inventor para Dagmar Garroux (Tia Dag), pedagoga e fundadora da Casa do Zezinho (SP), que atende mais de 1200 crianças e jovens de 6 a 21 anos.