Falta de estrutura para bicicletas aumenta número de acidentes fatais

Ciclista (Foto: Todd Mecklem)

A bicicleta é uma grande aliada na luta por um transporte mais saudável e sustentável para todos. Porém, dados alarmantes do Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (DETRAN-RS), divulgados em matéria do jornal Zero Hora, revelam que o número de acidentes fatais com ciclistas aumentou em 60% em relação ao mesmo período do ano passado no Estado.

Em cinco meses, foram 53 mortes. Este levantamento mostra que as cidades ainda estão pouco preparadas para oferecer infraestrutura e segurança necessárias à população que opta por este modal de transporte.

“As pessoas estão usando mais a bicicleta, mas não se oferece um espaço dedicado a esse veículo”, explica o diretor-presidente da EMBARQ BrasilLuis Antonio Lindau. Desde sua fundação, a organização apóia e incentiva políticas e projetos públicos que valorizam o uso da bicicleta como meio de transporte nas grandes cidades, por acreditar que é uma saída viável, barata e saudável. “Hoje a bicicleta representa entre 2 e 3% do modal de transporte não-motorizado, mas este percentual pode alcançar índices como os europeus, em torno de 20%”, acredita Lindau.

Para que o número de ciclistas continue aumentando sem que com ele aumentem também os acidentes, são necessárias transformações bem planejadas. A implementação de bicicletários e ciclovias, fisicamente separadas dos veículos a motor, é imprescindível, assim como uma sinalização bem visível e clara. Também uma reeducação de toda população é importante para fortalecer a “cultura da bicicleta” no país, e assim mostrar que a bike não é um obstáculo no trânsito e sim mais uma opção “limpa”.

Leia a matéria na íntegra no jornal Zero Hora e conheça alternativas para prevenir acidentes com bicicletas, apontadas pela publicação.

Algumas das ações de incentivo ao uso da bicicleta desenvolvidas pela EMBARQ Brasil: